Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Campeã belga dos Paraolímpicos diz que irá recorrer à eutanásia, mas não para já

  • 333

GETTy

Marieke Vervoort, que conquistou a medalha de prata na corrida dos 400 metros em cadeira de rodas, sofre de uma doença degenerativa que a irá impedir de dormir ou comer

“Quando o momento chegar, quando eu tiver mais dias maus do que dias bons, então eu tenho os meus papéis para a eutanásia, mas esse momento ainda não chegou”, afirmou Marieke Vervoot, a atleta belga que conquistou no sábado a medalha de prata na corrida dos 400 metros em cadeira de rodas, comentando as notícias da imprensa do seu país que indicaram que ela poderia pôr termo à vida após os Jogos Paraolímpicos que estão a decorrer no Rio de Janeiro.

Atualmente com 37 anos, Marieke soube aos 14 anos que sofre de uma muscular degenerativa que lhe causa dores permanentes e paralisia das pernas, para além de mal a deixar dormir. Para além do sono, a evolução da doença irá roubar-lhe também a capacidade de comer.

A eutanásia é legal na Bélgica e a atleta recebeu em 2008 a aprovação para recorrer a ela. Por agora, o recurso ao suicídio assistido ainda está totalmente fora de questão, assegura, pois, apesar da sua condição física, ainda “aprecia cada pequeno momento”.