Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Vindimadores por um dia

  • 333

VINDIMAS. No Vale do Douro, a Quinta Nova é uma das muitas propriedades durienses a partilhar a azáfama das vindimas com curiosos de todo o mundo

A região Entre-Douro-e-Minho tem outro encanto na época das vindimas. É tempo de trabalho árduo, mas também de renascimento, são cada vez mais os proprietários dispostos a partilhar os segredos do vinho e da vinha em quintas ancestrais

Isabel Paulo

Isabel Paulo

Jornalista

Rio acima

Entre 10 de setembro e 10 de outubro, a Quinta Nova Nossa Senhora do Carmo, no Vale do Douro, volta a abrir as portas a wine lovers de todo o mundo em busca dos segredos dos famosos vinhos do Douro e Porto. Disponível para grupos de oito a 20 pessoas, o programa inclui formação e material para a apanha da uva, almoço no terraço do Conceitus Winery Restaurant (sem bebidas), winetour com prova do primeiro vinho, na adega, e prova de três vinhos do Douro na sala de com vista panorâmica sobre o rio (82 euros/pessoa). Além de bebê-los, na loja da quinta da família Amorim pode ainda comprá-los a preços de produtor. Se prescindir de vindimar e da formação são €57, €18 para crianças dos 5 aos 12, grátis até aos 4 anos. Para chegar à quinta, pode fazê-lo por barco, atracando no cais do Ferrão, em embarcação própria ou nas disponibilizadas por várias empresas que promovem passeios fluviais no Douro, a bordo dos tradicionais rabelos, barcos clássicos, iates e veleiros, com partida do Pinhão.

Quinta Nova Nossa Senhora do Carmo, Covas do Douro. Tel 254 730 430. Início pelas 10h30

Distinção régia

A celebrar 260 anos de história, a Real Companhia Velha, fundada a 10 de setembro de 1756, sob Alvará Régio de El-Rei D. José I, data em que instituiu a Região Demarcada do Douro, convida os amantes do vinho para um dia de vindimas, a partir do próximo sábado. A iniciativa Harvest Experience terá por cenário a tradicional Quinta das Carvalhas, pendurada sobre o rio Douro junto ao Pinhão, e a inovadora Quinta do Casal da Granja, no planalto de Alijó. O programa de festa e de trabalho inicia-se na loja de vinhos das Carvalhas, seguindo-se a viagem para a apanha da uva. O almoço vínico é servido na curiosa Casa Redonda, no topo da propriedade, a 500 metros de altitude. Retemperadas as forças, a labuta continua na Quinta do Casal da Granja, na mesa de escolha de uvas, culminando com a pisa a pé nos lagares de granito e a indispensável prova de vinhos das duas quintas. De 17 a 24 de setembro e de 1 a 5 de outubro, com preço individual de €85, a Real Companhia Velha providencia o equipamento (t-shirt, luvas, tesoura e balde) e o transporte entre quintas. Não se esqueçam de levar chapéu, protetor solar, calções e água.

Real Companhia Velha, EN 323 Pinhão. Tel. 254 738 050. Das 10h15 às 19h30

Lagarada e concertina

RUI DUARTE SILVA

Numa quinta que tem por ponto de honra cumprir os rituais mais ancestrais durienses, as boas-vindas são dadas no templo dos vinhos, a adega, onde os participantes são equipados com chapéus de palha, lenço tabaqueiro, tesoura de corte e balde. Após breve explicação sobre as tarefas do dia e como quem não é para comer não é para trabalhar, é servido um caldo de cebola e sardinhas assadas em fatia de pão de milho com azeite. Findo a apanha no meio das vinhas, segue-se o almoço completo, regado a vinhos da Pacheca, antes de uma visita guiada à propriedade de 54 hectares, na zona de Cambres, e prova de vinhos, a anteceder a lagarada, ao som do típico ritual típico das concertinas e brindada no final com vinho do Porto. Programa para mínimo de duas pessoas e máximo de 30 (€75/pessoa). Programa mais curto: €20.

Quinta da Pacheca, Cambres, Lamego. Tel 254 331 229. Início às 10h

Na rota do verde

RUI DUARTE SILVA

Entre 19 e 15 de outubro, em plena Região Demarcada dos Vinhos Verdes, os visitantes estão convidados a participar em todas as etapas de um dia nas vindimas, desde a apanha da uva, até à pisa a pé no tradicional lagar de pedra (recomenda-se calções), sem esquecer um passeio pelas vinhas para conhecer de perto as diferentes castas da região. À chegada, os proprietários desta quinta, em Celorico de Basto, fornecem um kit de vindima com chapéu, t-shirt, água e tesoura de poda, altura em que os debutantes terão ainda uma breve formação sobre o processo de apanha dos cachos. Segue-se um piquenique de inspiração local, seguido de jogos tradicionais, visita guiada à adega, lagarada, música popular e degustação de vinhos da casa, claro, Alvarinho e Loureiro-Alvarinho, e queijos. O programa está gizado para um mínimo de duas pessoas e um máximo de 16. Grupos até três/€85 por pessoa; de 4 a 16, €65, crianças dos 5 aos 14 anos/€15. Marcação com dois dias de antecedência.

Quinta de Santa Cristina, Veade, Celorico de Basto. Tel 229 571 700. Das 10h30 às 18h

Tradição minhota

Ao longo de toda a estação da vindimas, a primeira quinta a produzir a famosa marca Alvarinho, em Melgaço, disponibiliza visitas à adega e provas de vinho com fumeiro na Quinta da Folga, sob marcação prévia. Com uma adega recentemente renovada e várias referências do mais icónico dos vinhos verdes, a Quinta de Soalheiro, no vale do rio Minho, promove, a 17 e 18 de setembro, o evento Soalheiro Harvest Weekend, um fim de semana especial (€40 a €70) para viver de perto as experiências mais tradicionais das vindimas minhotas e brindar com o vinho verde do nosso Portugal.

Quinta de Soalheiro, Alvaredo, Melgaço. Tel 251 416 769. Das 9h às 16h30

SUGESTÃO: POESIA & JAZZ

Nicolau Santos tem a palavra

A Feira do Livro do Porto tem esta sexta-feira um dia especial, animada por música, tertúlias e visitas guiadas. Às 18h, é tempo de tertúlia “As Casas da Música no Porto e o Palácio de Cristal: 150 anos de História” e, às 20h, há Hop Dance Studio (Concha Acústica) e voos em balão de ar quente. Às 22h, no auditório da Biblioteca Almeida Garrett, destaque para o projeto Poesia & Jazz, sessão de spoken word, poesia dita por Nicolau Santos, diretor-adjunto do Expresso, ao som jazzístico do Quarteto de Manuel Lourenço e da voz de Cláudia Franco, espetáculo que dá pelo nome de “O Meu País já Não Existe”. Sábado, às 16h, seguem-se as visitas guiadas diárias à exposição “100 Tesouros da Biblioteca Pública do Porto, conduzida pelo curador pelo seu curador, Fernando Pinto do Amaral. Domingo, às 19h, é hora de tributo a Mário Cláudio, o homenageado deste ano da Feira do Livro, com “Tocata e Fuga”, documentário de Jorge Campos sobre o escritor.

Biblioteca Municipal Almeida Garrett e Jardins do Palácio de Cristal, Porto