Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Suspensos todos os cursos dos Comandos

  • 333

Gonçalo Rosa da Silva

“Estão suspensos todos os cursos de comandos até ao fim do inquérito”, disse Azeredo Lopes à RTP. O ministro ordenou um “inquérito técnico às condições” em que se realizam estes cursos. O provedor de Justiça determinou a abertura de “um procedimento de iniciativa própria”

Hugo Franco

Hugo Franco

Jornalista

José Azeredo Lopes, o ministro da Defesa, declarou à RTP que "estão suspensos todos os cursos de comandos até ao fim do inquérito" [que decorre no Estado Maior do Exército e no Ministério Público sobre a morte de um militar no último domingo]. O ministro já ordenou um "inquérito técnico às condições" em que se realizam estes cursos para perceber se todos os procedimentos foram cumpridos ou se o grau de exigência foi demasiado alto.

"Em articulação com o Chefe Maior do Estado do Exército foi determinado um inquérito específico e até à sua conclusão estão suspensos os cursos de Comandos. Não resulta, por ora, na extinção dos cursos de Comandos, mas sim na suspensão dos mesmos até saber as condições gerais em que decorre a formação", disse Azeredo Lopes.

Azeredo Lopes acrescentou também que foi necessário tempo para ponderar se não se justificavam outras "medidas preventivas adicionais que permitissem aguardar a conclusão serena do que aconteceu".

O Expresso está a tentar obter declarações do porta-voz do Exército e do Ministério da Defesa mas sem sucesso.

Esta manhã de quinta-feira, Azeredo Lopes tinha afirmado que admitia intervir após a conclusão das duas investigações que decorrem à morte de um militar num curso de Comandos. O ministro da Defesa disse à agência Lusa estar a acompanhar "com muita preocupação" os incidentes registados durante os treinos do curso de Comandos, que registou a morte no domingo e o internamento hospitalar durante a semana de pelo menos 11 militares, segundo as informações recolhidas pelo Expresso.

Entretanto, o provedor de Justiça determinou a abertura de "um procedimento de iniciativa própria", na sequência dos acontecimentos ocorridos em ações de treino militar do curso de comandos.

A morte do jovem militar Hugo Abreu, de 20 anos, depois de uma prova de tiro no 127º curso de Comandos no último domingo, está a ser investigada internamente pelo Estado Maior do Exército e também pelo Ministério Público. O gabinete de comunicação da Procuradoria-Geral da República (PGR) confirmou ao Expresso que o DIAP de Lisboa abriu um inquérito ao caso ocorrido no último domingo. "Confirma-se a existência de um inquérito, o qual corre termos no DIAP de Lisboa", diz a PGR.