Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

A Renault aprendeu

  • 333

Depois de vários anos a ver a concorrência passar, a Renault tem finalmente novos argumentos no segmento executivo. A chegada do Talisman traz motorizações atrativas e um equipamento muito completo. O jornalista Rui Pedro Reis levou a versão Sport Tourer para um passeio pela montanha.

Rui Pedro Reis/SIC

A Renault quis romper com o passado. O Talisman até se podia ter chamado Laguna, mas a verdade é que as três gerações do modelo francês nunca conseguiram rivalizar com modelos como o Megane ou o Clio. Por isso e para limpar a imagem de uma presença no segmento D que ficava uns passos atrás da concorrência, os franceses decidiram-se por nova designação. Tal como no Laguna, a versão ST tem tudo para ser bem sucedida no mercado português. É muito espaçosa, tem 490 litros de bagageira e revela uma aposta assumida na qualidade de vida a bordo. O interior denota bons materiais e uma qualidade de construção cuidada. Pena que haja ainda uma presença notória de alguns plásticos de menor qualidade que podem vir a contribuir para o aparecimento de ruídos parasitas. Mas, globalmente, há muito conforto, tanto nos lugares da frente como atrás, onde existe espaço de sobre para passageiros adultos.

Viagem ao ritmo da tecnologia

Não fazia sentido testar o Talisman nas ruas de Lisboa. Desculpa mais do que suficiente para uma viagem até Coimbra. A entrada na A1 revela o perfil de estradista do novo Renault. O primeiro destaque vai para a insonorizarão. Os ruídos aerodinâmicos são muito reduzidos, mesmo a velocidades elevadas. O ruído de rolamento também está bem filtrado e até o som do motor diesel fica bem disfarçado.

Na consola central, o ecrã de 8,7” destaca-se, em posição vertical. Uma solução que já vimos adotada por marcas como a volvo. É neste ecrã que se tem acesso ao sistema de info-entretenimento R-Link, onde tudo funciona, mas onde o sistema de navegação continua a ser o calcanhar de Aquiles. O ecrã é táctil, mas a maioria das funções podem ser comandadas no volante ou no comando em posição central, junto à caixa de velocidades. Entre as novidades tecnológica está o Multi-Sense. O sistema electrónico tem cinco modos de condução: Neutro, Eco, Sport, Comfort e Perso. Todos eles alteram o comportamento do automóvel e, atém disso, define também várias tecnologias integradas. O sistema define, por exemplo, o funcionamento do ar condicionado e até outros pormenores supérfluos como a cor da luz ambiente. No modo Perso o condutor pode definir cada um destes elementos. E, acredite, são tantos que dá para ficar entretido bastante tempo.

Chegado a Coimbra, lembro-me de conferir o sistema 4Control, já conhecido da Renault, que torna as rodas traseiras direcionais. Já vem de serie no nível mais equipado e, em cidade, é muito útil. Convém referir que permite ao Talisman um ângulo de viragem idêntico ao de um carro do segmento B como o Renault Clio. Mas é preciso sair da cidade para conferir outra característica do 4Control. A estrada de montanha que me leva até à Lousã mostra como o carro se torna preciso em curva. O peso está lá, mas como as rodas de trás acompanham as da frente, parece que o automóvel se desembaraça com mais facilidade de traçados sinuosos. A experiência de condução é diferente. Sente-se que há alguma coisa que faz o trabalho por nós. O motor 1.6 dci twin turbo chega para as encomendas. Os 160cv não lhe dão uma resposta propriamente desportiva, mas a recuperação é muito boa e um dos trunfos importantes é a caixa automática de dupla embraiagem EDC que em cidade se comporta na perfeição e mesmo na montanha mostrou estar à altura da maioria das situações. Numa viagem que teve todos os cenários possíveis, o consumo andou sempre a rondar os 6 litros aos 100 km. Longe da marca anunciada mas nada que desiluda. Quem se deixar seduzir pelo Talisman vai ter de optar entre três níveis de equipamento: Zen, Intense e Initiale Paris. O preço pode ser um entrave ao sucesso do Talisman, já que na fasquia acima de 40 000€ há alguma concorrência, ainda que com menos equipamento.

Mesmo sem ter de escolher, no meu caso a desculpa para encostar era ter de digerir a viagem. E a chegada à Lousã vinha mesmo a calhar. Paragem demorada no Burgo, restaurante onde os sabores da serra são feitos de saber. Aí são como o Talisman, que não esconde os anos de aprendizagem do grupo Renault.

Ficha técnica

Renault Talisman Sport Tourer 1.6 dci 160 cv

Motor

1598 cc

160 cv

380 nm às 1750 r.p.m.

Transmissão

Dianteira

Caixa automática com 6 velocidades

Prestações

215 km/h vel. máxima

9,4 s 0-100 km/h

Consumos

4,4 l/100 km ciclo misto

115g CO2/km

Preço: €44.900