Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Central de Sines e ETAR de Matosinhos são as mais poluentes

  • 333

Associação ambientalista Zero fez o ranking das 10 instalações que, respetivamente, mais poluem o ar e a água em Portugal. A liderar o “top 10” da contaminação atmosférica está a central termoelétrica da EDP, em Sines, e no da poluição de meio aquático está a ETAR de Matosinhos

Carla Tomás

Carla Tomás

Jornalista

A central termoelétrica da EDP, em Sines, é a instalação que mais polui a atmosfera em Portugal, emitindo grandes quantidades de dióxido de carbono, fluoretos, compostos inorgânicos, mercúrio ou dioxinas, entre outros poluentes. E a Estação de tratamento de águas residuais (ETAR) de Matosinhos é a que mais polui o meio aquático, lançando para este quantidades significativas de substâncias perigosas como cádmio, cianetos, chumbo ou níquel.

As duas instalações lideram o ranking das instalações que mais poluem o ar e a água em Portugal, divulgado esta sexta-feira pela associação ambientalista Zero.

Para elaborar as duas listas com as "10 mais poluentes", a associação ambientalista pegou nos dados reportados por 336 instalações localizadas em Portugal (280 que emitem para a a atmosfera e 56 para meios hídricos) e cruzou informação.

"O objetivo é chamar a atenção para a libertação de tantas emissões e metais pesados para a atmosfera e o meio hídrico que nos circundam", explica Francisco Ferreira. O dirigente da Zero lembra ainda que a Central de Sines "está na lista das 30 instalações mais poluentes da Europa".

O ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, anunciou ao Expresso em dezembro que esta central deverá substituir o carvão por gás natural até 2020 e encerrar até 2050.

No ranking das 10 instalações que mais pouem o ar em Portugal seguem-se por ordem decrescente as fábricas da Portucel em Setúbal e em Cacia; o centro de produção da Unicer em Leça do Balio; a fábrica da Cimpor de Alhandra,; a refinaria da petrogal no Porto, a fábrica da Soporcel na Figueira da Foz, a indústria Luso Finsa em Nelas, a instalação Alimentação Animal Nanta no Marco de Canavezes e a fábrica de cimentos CMP de Maceira-Liz.

O "top 10" das que mais contaminam o meio aquático é liderado pela ETAR de Matosinhos que, lembra Francisco Ferreira, "colocou Portugal sob ameaça de sanções por incumprimento da diretiva das águas residuais urbanas".

Na lista "negra" da Zero seguem-se as estações de tratamento de águas residuais de Alcântara, em Lisboa; de Ribeira de Moinhos, em Sines; da Sanest em Cascais; da SIMRIA em Aveiro; a fábrica da Celbi, na Figueira da Foz; as ETAR da TRATAVE em Guimarães e em Vila Nova de Famalicão; a da Portucel em Setúbal; e a do Lordelo, em Guimarães.