Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Aberta investigação sobre alegado lançamento de fogo-de-artifício na Madeira

  • 333

A PSP quer apurar a eventual responsabilidade de elementos da corporação de bombeiros de Câmara de Lobos. O lançamento ocorreu durante uma festa privada, numa altura em que vigorava uma proibição

O Comando da PSP na Madeira informou esta sexta-feira ter mandado abrir um "processo administrativo" para aferir a responsabilidade de elementos da corporação de bombeiros de Câmara de Lobos no lançamento de fogo-de-artifício durante uma festa privada.

O comunicado emitido pelo Comando Regional da Polícia de Segurança Pública (PSP) refere que esta determinação acontece "na sequência de notícias vindas a público no pretérito 14 de agosto, através de alguns órgãos de comunicação social regionais".

As notícias "davam conta do lançamento de fogo-de-artifício numa festa privada no concelho de Câmara de Lobos" numa altura em que estava vigente uma proibição das autoridades policiais devido aos incêndios que fustigavam a ilha desde o dia 8".

O comando adianta ter determinado logo à subunidade local (Divisão Policial de Câmara de Lobos) um conjunto de medidas para "esclarecer o sucedido e identificar as partes envolvidas".

O documento conclui que, depois de ter sido "elaborado o expediente e na posse dos dados tidos por essenciais", a PSP "determinou a abertura de um processo administrativo junto do seu Núcleo de Armas e Explosivos, com vista a aferir a eventual responsabilização contraordenacional (ou não) dos presumíveis implicados".

O “Diário de Notícias” da Madeira avançou que no fim de semana em causa, durante uma festa de casamento de um bombeiro, na qual esteve presente o comandante da corporação de Câmara de Lobos (concelho vizinho a oeste do Funchal), ocorreu o lançamento de fogo-de-artifício, apesar da proibição emitida pela PSP.

O deputado do PTP na Assembleia Legislativa da Madeira, José Manuel Coelho, anunciou ter apresentado um pedido de audição parlamentar para apurar as responsabilidades relacionadas com o alegado lançamento de fogo-de-artifício nesta festa privada, que aconteceu na Quinta da Pinheira, no Estreito de Câmara de Lobos.

Os fogos que atingiram a ilha da Madeira na semana passada, sobretudo no concelho do Funchal, fizeram três mortos e dezenas de milhões es estragos em immóveis e infraestruturas públicas.