Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Suspeitos de agressão a jovem em Ponte de Sor têm imunidade diplomática

  • 333

São filhos do embaixador do Iraque em Portugal os dois suspeitos de terem provocado múltiplas fraturas a outro jovem de 15 anos em Ponte de Sor. A vítima sofreu múltiplas fraturas e teve de ser transferida para Lisboa

Os dois rapazes suspeitos de terem agredido esta quarta-feira um jovem de 15 anos em Ponte de Sor são filhos do embaixador do Iraque em Portugal e têm imunidade diplomática, disse esta tarde à Lusa fonte ligada ao processo.

A vítima, de 15 anos, sofreu múltiplas fraturas ao ser agredido numa rixa em Ponte de Sor, distrito de Portalegre, alegadamente por outros dois rapazes de 17 anos, e foi transferido para Lisboa, segundo disseram à agência Lusa fontes do INEM e da GNR.

Fonte do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) disse à Lusa que o rapaz "apresentava múltiplas fraturas, escoriações e perda de conhecimento" no momento em que foi assistido.

Contactado pela Lusa, o oficial de relações públicas do Comando Territorial de Portalegre da Guarda, José Moisés, relatou que as autoridades começaram por registar, durante a madrugada, um desentendimento entre a vítima e os supostos agressores junto a um bar daquela cidade alentejana.

Mais tarde, segundo o oficial, os dois rapazes terão agredido a vítima na Avenida da Liberdade, em pleno centro daquela localidade alentejana.

O rapaz de 15 anos, que foi mais tarde encontrado inanimado por trabalhadores do município que recolhiam o lixo, foi assistido no centro de saúde de Ponte de Sor, mas teve de ser transportado de helicóptero para o Hospital de Santa Maria.

Contactada pela Lusa, a unidade indicou não poder dar informações sobre o estado clínico por se tratar de um menor.

Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Portalegre indicou que o alerta foi dado às 3h55, tendo sido mobilizados para o local cinco bombeiros, uma ambulância, uma viatura de suporte imediato de vida (SIV) de Ponte de Sor, além de elementos da GNR.

Segundo José Moisés, os dois suspeitos menores de idade ficaram à guarda da GNR até à chegada da Polícia Judiciária (PJ), que foi chamada a investigar o caso.

A imunidade diplomática é uma forma de imunidade legal que assegura às missões diplomáticas inviolabilidade e aos diplomatas salvo-conduto, isenção fiscal e de outras prestações públicas, bem como de jurisdição civil e penal e de execução.