Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Prisão preventiva para segundo presumível incendiário na Madeira

  • 333

GREGÓRIO CUNHA / Lusa

O suspeito foi detido pela PSP de Santa Cruz, na noite de 15 para 16 de agosto, por supostamente ter ateado fogo numa área florestal perto da sua casa, na freguesia da Camacha

O Tribunal da Comarca da Madeira determinou esta tarde a prisão preventiva para um homem suspeito do crime de incêndio florestal na Camacha, concelho de Santa Cruz, informou o juiz presidente. O homem, de 50 anos, natural da Madeira, foi interrogado entre as 11h50 e as 13:10 desta quarta-feira.

Paulo Barreto, juiz presidente da Comarca da Madeira. disse que a medida de coação imposta se fundamenta no "perigo de fuga" e na possibilidade de "continuação da atividade criminal", tendo em conta que o suspeito é reincidente neste tipo de crime.

O homem foi detido pela PSP de Santa Cruz, concelho da zona leste da ilha, na noite de 15 para 16 de agosto, por supostamente ter ateado fogo numa área florestal perto da casa onde reside, no sítio de Vale Paraíso, freguesia da Camacha.

Este é o segundo suspeito a quem o tribunal impõe a prisão preventiva na sequência dos incêndios que fustigaram a Madeira na semana passada, e que provocaram três mortos, um ferido grave e a destruição de mais de duas centenas de casas, particularmente no concelho do Funchal.

O primeiro suspeito tem 23 anos, é natural da Madeira e terá ateado o incêndio que deflagrou no dia 8 de agosto na freguesia de São Roque, no Funchal.