Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

União Europeia solidária com Portugal garante apoio no combate aos fogos

  • 333

José coelho/ Lusa

“Em resposta imediata ao pedido de ajuda” do Governo português, a União Europeia mobilizou, através do mecanismo de proteção civil, um avião Canadair gerido por Itália, que se juntou a outros dois aviões mobilizados por Espanha

Bruxelas está solidária com Portugal e mantém-se em contacto permanente com as autoridades nacionais dos vários Estados-membros que participam no mecanismo europeu de proteção civil para coordenar o combate aos incêndios, segundo um comunicado da Comissão Europeia.

"Em resposta imediata ao pedido de ajuda" do Governo português, a União Europeia mobilizou, através do mecanismo de proteção civil, um avião Canadair gerido por Itália, que se juntou a outros dois aviões mobilizados por Espanha.

"A União Europeia está solidária com Portugal na ajuda ao combate aos fogos que lavram no país [...]. Os nossos pensamentos estão com todos os que foram afetados e com os bombeiros que estão a dar o seu melhor para combater os incêndios", sublinha o comissário para a Ajuda Humanitária e Gestão de Crises, Christos Stylianides.

O Centro de Coordenação de Respostas de Emergência da Comissão Europeia, que está a monitorizar ativamente os fogos florestais, está em contacto com as autoridades de proteção civil dos países que participam no mecanismo.

O mecanismo europeu de proteção civil é uma bolsa de meios disponibilizada pelos Estados-membros da União Europeia que permite que outros peçam ajuda em caso de necessidade - incêndios, cheias, sismos, entre outros.

Mais de 1.700 operacionais estavam esta quarta-feira, às 12h30, a combater 13 grandes fogos florestais no continente português, ao mesmo tempo que no Funchal os bombeiros continuam a tentar apagar os vários focos de incêndio.

A Madeira foi assolada por vários incêndios desde segunda-feira em várias zonas da região, que provocaram três mortos no Funchal, vários desalojados, dezenas de casas destruídas e avultados danos materiais.

Cento e vinte operacionais do continente português e outros 30 dos Açores foram enviados para a região para reforçar as equipas no combate aos incêndios.