Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Os números da destruição

  • 333

DUARTE SA/ Reuters

As imagens chocam. O rasto de destruição deixado pelas chamas na ilha da Madeira é grande. O balanço do que já se sabe que as chamas levaram e provocaram

Três Mortos

As vítimas mortais são pessoas idosas apanhadas pelas chamas na zona da Pena, em Santa Luzia.

327 pessoas foram às urgências

A grande maioria, pormenorizou Miguel Albuquerque, foram assistidas devido a intoxicações e a pequenas queimaduras; 80 pessoas continuam internadas.

950 Pessoas realojados

Além das famílias que ficaram sem casa, este número incluem casos em que devido à proximidade do fogo, as autoridades optaram por retirar as pessoas das habitações e colocá-las em locais mais seguros. Segundo o Governo regional, 600 estão alojadas no Regime de Guarnição n.º 3 (RG3), no Funchal, outras 300 foram colocadas no estádio dos Barreiros e 50 no centro cívico de São Martinho.

Pelo menos 37 casas destruídas

O número deverá aumentar nas próximas horas, uma vez que a contagem apenas inclui as freguesias de Santo António, São Roque e Monte. Em conferência de impresa, o presidente da região autónoma lembrou que algumas das habitações consumidas pelas chamas podem ser edifícios desabitados.

Pelo menos três suspeitos

Um suspeito foi detido e encontra-se em prisão preventiva. Miguel Albuquerque sublinhou que “era muito estranho” três incêndios começarem praticamente no mesmo sítio, em São Roque.

Há ainda mais duas pessoas suspeitas de fogo posto, que foram “apanhadas em flagrante delito”. O presidente da região autónoma não fez mais comentários e remeteu os esclarecimentos para as autoridades.

Dois hospitais, duas clínicas e dois lares evacuados

Na terça-feira, o Hospital do Marmeleiro e o Hospital Dr. João de Almada foram evacuados. A retirada de doentes da primeira unidade de saúde aconteceu ainda de madrugada, pouco passava das 5h, quando 200 pacientes foram transferidos para Hospital Central do Funchal. Ao final da tarde, já perto das 19h, o incêndio no Funchal obrigou à retirada de 300 doentes do Hospital Dr. João de Almada, uma unidade destinada a idosos acamados e alguns deles a precisar de cuidados paliativos.

Também se procedeu à evacuação dos lares de Santa Isabel e do Vale Formoso, bem como das clínicas de Santa Luzia e Santa Catarina. A situação já foi normalizada nestes seis locais.

120 Bombeiros de Lisboa e 30 dos Açores

A Autoridade Nacional de Proteção Civil mobilizou 120 operacionais, que se juntaram a 30 dos Açores, para apoio ao combate a incêndios na região autónoma da Madeira, informaram hoje fontes oficiais.

Segundo a agência Lusa, do continente seguiram 30 elementos do Grupo de Intervenção Proteção e Socorro da GNR, 40 do Regimento de Sapadores Bombeiros de Lisboa, dez da Força Especial de Bombeiros (FEB), 30 bombeiros voluntários, cinco do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) e cinco da Proteção Civil, liderados pelo segundo comandante operacional nacional, adiantou a mesma fonte. Os operacionais dos Açores pertencem às corporações das ilhas de São Miguel e Terceira.

artigo em atualização

  • Noite de inferno faz três mortos no Funchal

    Três pessoas morreram na última noite e madrugada no Funchal, na sequência dos incêndios que deflagraram no concelho. As mortes ocorreram na zona da Pena, na freguesia de Santa Luzia, na travessa Silvestre Quintino de Freitas, com moradores de duas das residências atingidas pelo fogo que desceu a zonas urbanas da capital madeirense