Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Treze fogos preocupam os bombeiros

  • 333

OCTÁVIO PASSOS / Lusa

Às 7h, de acordo com a página da Internet da Proteção Civil, estavam ativos 215 incêndios, que estavam a ser combatidos por 3299 operacionais, com o apoio de 1081 meios terrestres

Treze incêndios nos distritos de Viana do Castelo, Porto, Aveiro, Viseu, Guarda e Braga preocupavam os bombeiros às 7h desta terça-feira, sendo o fogo no concelho de Águeda o que mais meios mobilizava, adiants Miguel Cruz da Proteção Civil.

Em declarações à agência Lusa, o Adjunto Nacional de Operações da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) Miguel Cruz disse que as 13 situações são difíceis, mas os fogos que apresentam maiores dificuldades e desafios na resolução são os de Arouca, distrito de Aveiro, Vila Nova de Cerveira, distrito de Viana do Castelo, e Gondomar, distrito do Porto.

"A situação mais antiga é a de Arouca, que se iniciou no sábado e lavra na encosta da serra da Freita. Mas o de Águeda é o que mais meios mobilizava às 7h: 298 bombeiros, apoiados por 99 veículos", adiantou.

O incêndio de Arouca estava esta manhã a ser combatido por 255 operacionais apoiados por 90, o de Gondomar, no distrito do Porto, mobilizava 108 bombeiros, com o auxílio de 31 meios terrestres, e o de Vila Nova de Cerveira tem no terreno 78 operacionais, apoiados por 33 veículos.

Também o fogo em Barcelos, distrito de Braga, mobilizava esta manhã 232 operacionais, apoiados por 79 meios terrestres.

"Temos tido alguns incêndios que se têm aproximado das aldeias os meios têm feito uma defesa em torno das habitações no sentido de que não haja danos nas mesmas. Tem sido trabalho árduo", sublinhou.

Segundo Miguel Cruz, o número de ignições faz com que o número de meios disponíveis para cada uma delas vá diminuindo, causando desafios maiores. "Nesse sentido, quero deixar um apelo aos cidadãos para que tenham o máximo cuidado e, numa altura em que as condições atmosféricas são adversas, ter cuidados com a utilização do fogo, que é expressamente proibido", disse.

Miguel Cruz adiantou que já está a ser feita uma avaliação para reforçar o combate aos incêndios com meios aéreos.

De acordo com a ANPC, "ocorrências importantes", são aquelas que decorrem há mais de três horas e mobilizam mais de 15 meios de socorro.

Às 7h, de acordo com a página da Internet da ANPC, estavam ativos 215 incêndios, que estavam a ser combatidos por 3299 operacionais, com o apoio de 1081 meios terrestres.

Entre estes fogos encontram-se vários em Lisboa e nos arredores: em Carnide, Loures, Sintra, Loures, Vila Franca de Xira e Arruda dos Vinhos.

200 desalojados no Funchal

Cerca de 200 pessoas foram retiradas esta terça-feira de vários pontos do Funchal e do Hospital dos Marmeleiros, na freguesia do Monte, na sequência dos diversos focos de incêndio que lavram desde a tarde de segunda-feira no concelho.

"A situação agravou-se e tivemos de realojar pessoas no Regimento de Guarnição N.º 3 (Funchal), temos cerca de 200 pessoas que estão a ser acompanhadas", disse a secretária Regional da Inclusão e Assuntos Sociais, que tutela a área da Proteção civil do governo madeirense à agência Lusa.

A responsável adiantou que por motivos de prevenção e segurança também foram deslocados doentes do Hospital dos Marmeleiros, situado na freguesia do Monte, sobretudo pessoas que sofrem de doenças respiratórias, por decisão do Secretário Regional da Saúde.

Rubina Leal adiantou ser difícil neste momento avançar com o número de casas que já foram consumidas e ficaram danificadas pelo fogo que lavra desde cerca das 16h de segunda-feira no concelho do Funchal.

"Não consigo dizer quantas casas estão destruídas, porque os meios estão no terreno e estamos empenhados em apoiar a população desalojada e controlar o fogo", disse.

Segundo a responsável estão no terreno todos os meios e oito corporações de bombeiros estão envolvidas no combate aos incêndios.

Os bombeiros também na freguesia de Canhas, concelho da Ponta do Sol, e do Campanário, no município de Câmara de Lobos, estão a combater outras frentes de incêndio florestal na ilha da Madeira.