Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Seis carreiras de autocarros suspensas na Madeira devido aos incêndios

  • 333

HOMEM DE GOUVEIA / Lusa

Empresa pública Horários do Funchal refere que os restantes percursos decorrem com normalidade, apenas ficando sujeitos a “interrupções que possam acontecer em consequência dos encerramentos temporário ou mais permanente de outras vias”

A empresa de transportes públicos Horários do Funchal (HF) informou esta tarde que há carreiras suspensas no serviço de transporte urbano e interurbano, devido ao encerramento de algumas vias próximas dos incêndios que decorrem na Madeira desde segunda-feira.

Na nota informativa, a HF refere que estão suspensas as carreiras 20, 21, 22, 28, 93 e 94, estando o serviço nos restantes percursos a decorrer com normalidade, "apenas sujeitos a algumas interrupções que possam acontecer em consequência dos encerramentos temporário ou mais permanente de outras vias".

Junto à estação da HF na Fundoa de Baixo, um autocarro de passageiros incendiou-se esta manhã, na sequência dos fogos que lavram no concelho, tendo as viaturas sido retiradas do parque da empresa.

Esta tarde, estão ativas na Madeira quatro frentes de fogo, nas zonas altas do Funchal e, também na costa sul da ilha, na Ponta do Sol (no concelho com o mesmo nome) e no Campanário (município da Ribeira Brava).

As chamas já consumiram algumas casas e obrigaram a retirar mais de 200 pessoas das suas habitações e mais de 200 doentes do Hospital dos Marmeleiros, na freguesia do Monte, na zona alta do concelho do Funchal. O centro da cidade localiza-se na zona baixa.

Segundo a autarquia, das nove estradas do Funchal encerradas, foi já reaberta a rua João Abel de Freitas.

As chamas deflagraram nas zonas altas do Funchal, em São Roque, pelas 15:30 de segunda-feira, mas alastraram-se a outras localidades, tendo as autoridades regionais acionado os planos Municipal de Emergência do Funchal e de Contingência Regional.

  • Incêndio no Funchal destrói várias casas e fere dois bombeiros

    Dois bombeiros de Câmara de Lobos que estão a combater o incêndio no Funchal ficaram feridos na sequência do despiste do autotanque que estava estacionado no Largo da Fonte, no Monte, onde neste momento está uma das mais preocupantes frentes de fogo na Madeira. A situação continua complicada no Funchal, onde dezenas de casas foram atingidas pelas chamas