Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Governo envia força especial para combater incêndios na Madeira

  • 333

MIGUEL A. LOPES/LUSA

O Executivo vai enviar uma equipa de bombeiros, GNR e INEM para a Madeira, na sequência dos incêndios que lavram na ilha. Foi também acionado o pré-alerta para o mecanismo europeu da Proteção Civil

O primeiro-ministro anunciou esta terça-feira que será enviada uma Força Especial da Proteção Civil para o Funchal, com vista a ajudar a combater os fogos que deflagraram há um dia nas zonas altas.

A equipa será composta por 36 elementos dos bombeiros, GNR e INEM. “O Governo Regional solicitou apoio para esta situação que se está a viver no Funchal e ainda hoje um avião da Força Aérea transportará um segundo comandante e elementos da GNR, bombeiros profissonais e voluntários e INEM ”, declarou António Costa, após uma reunião com o comando da Autoridade Nacional de Protecção Civil.

Afirmando que o dispositivo da Proteção Civil é “sólido e robusto”, o primeiro-ministro defendeu que este tem funcionado bem, mas que as condições climatéricas adversas têm agravado a situação. “Na madrugada de amanhã teremos ventos fortes em todo território continental, que podem ajudar a propagar incêndios. A partir de quinta-feira até dia 15, teremos temperaturas muito elevadas, que exige esforço de atenção”, disse Costa, alertando para a necessidade de se evitarem comportamentos de risco junto das florestas, como fumar, operar máquinas ou lançar foguetes.

O governante disse ainda que foi decidido acionar o pré-alerta para o Mecanismo Europeu de Proteção Civil e o acordo bilateral com a Rússia, caso a situação piore nos próximos dias. No entanto, lembrou que o Mecanismo Europeu de Proteção Civil tem uma capacidade de meios limitada, uma vez que a situação de incêndios em Portugal é semelhante à de outros países.

Relativamente ao futuro, António Costa sustentou que é essencial avançar com a reestruturação da floresta, garantindo que essa é uma prioridade do Governo. “Não podemos ter essa ilusão. Os incêndios evitam-se reestruturando-se a nossa floresta. Uma floresta mais sustentável, um ordenamento florestal mais resiliente às ameaças é uma prioridade política para este Governo, que vai ter início quanto possível, para que a floresta seja uma fonte de riqueza e não uma ameaça às populações”, acrescentou.

Os incêndios no Funchal, que deflagraram esta segunda-feira nas zonas altas, já destruíram dezenas de casas e obrigaram à evacuação de hospitais. A gravidade da situação já levou a Câmara do Funchal a ativar o Plano Municipal de Emergência e o Governo Regional a pedir ajuda a António Costa.