Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Incêndios lavram no Norte do país

  • 333

MIGUEL PEREIRA DA SILVA

Mais de seis mil homens ainda combatem quase duzentos incêndios em território nacional, sendo o distrito do Porto o mais afetado pelas chamas

O incêndio em Melres, concelho de Gondomar, está “dominado”, mas as pessoas queixam-se do atraso da chegada dos apoios para o combate às chamas e ainda têm medo. “As chamas rondaram a minha casa, estavam a 20 metros de distância. As minhas filhas de 14 e 16 anos choraram e tiveram de fugir”, contou à Lusa José Lourenço, 40 anos. Segundo o site da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) havia pelas 19h deste domingo 194 incêndios a serem combatidos por mais de 6000 operacionais.

O incêndio que lavra há dois dias na freguesia de Melres e Meda, concelho de Gondomar, foi dado como “dominado” pelas 15h32, avançou Carlos Alves, do Comando Distrital de Operação de Socorros (CDOS) do Porto, mas a fase de rescaldo promete ser “muito demorada”, devido à baixa humidade do ar e ao pico de calor pelas 16h.

No palco das operações estiveram a combater as chamas cinco meios aéreos no total — quatro aviões e um helicóptero — e uma máquina de rastos, mas os populares e autoridades locais lançaram algumas críticas. Falam de falta de meios no combate às chamas no sábado, referindo que o posto de comando foi abandonado pelas 04h.

Carlos Alves do CDOS do Porto justifica que o incêndio foi dado como dominado no sábado e que “nada fazia prever” que o vento forte fizesse o incêndio voltar. “Tudo está a ser feito para que não haja reacendimentos”, assegura.

Até ao momento apenas uma pessoa teve de ser realojada, um homem de 92 anos, adiantou a mesma fonte do CDOS.

Uma casa “ardeu completamente” e outras ficaram “chamuscadas” em Vale Travessos, de acordo com o presidente da junta de freguesia, José Andrade.

Em Travanca de Bodiosa, Viseu, houve algumas casas ameaçadas. E na aldeia da Castanheira, em Arouca, os moradores foram retirados das habitações. “Os que não quiseram sair de casa ficaram protegidos com a GNR e com os bombeiros”, disse o presidente da Câmara de Arouca, José Artur Neves.

De manhã, devido à proximidade das chamas, as autoridades decidiram evacuar o parque de campismo de Merujal.

Das “ocorrências importantes” destacadas pelas ANPC pelas 19h constam ainda os incêndios de Vale de Cambra, localidade de Felgueira, com mais de 100 homens no combate; o da localidade de Salreu, Estarreja (38 homens estão no terreno e quatro meios aéreos); Bragança, freguesia de Parâmio (62 homens e dois meios aéreos); Paredes de Coura, freguesia de Rubiães (com 91 operacionais) e Peneda, na freguesia da Gavieira, concelho de Arvos de Valdevez (114 homens e dois meios aéreos).

A ANPC registou ao longo do dia mais de 390 incêndios, tendo sido o distrito do Porto o mais afectado (111 ocorrências).