Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Minho já tem um hotel dedicado à filigrana

  • 333

SOLAR HISTÓRICO As peças tradicionais de ourivesaria portuguesa são agora a alma do hotel num edifício de 1509

A Casa Melo Alvim, no centro de Viana do Castelo, passou a ter a filigrana como tema desde que o hotel-boutique começou a ser gerido pela Unlock

É um pouco da história de Portugal que está retratada nas peças feitas à mão, com fios de ouro e prata tão finos como cabelos. Uma técnica com milhares de anos, que vem dos Fenícios, e foi levada ao expoente máximo no norte de Portugal, onde se aperfeiçoou ao longo de gerações: a arte da filigrana, que já é uma das imagens de marca do Minho, tem agora um hotel de charme em sua homenagem, localizado em Viana do Castelo e num solar histórico que data de 1509.

ARTE MINHOTA A receção do hotel foi transformada na “maior montra comercial de filigranas em Portugal”, segundo a Unlock

ARTE MINHOTA A receção do hotel foi transformada na “maior montra comercial de filigranas em Portugal”, segundo a Unlock

A Casa Melo Alvim passou a dedicar-se ao tema das filigranas desde que o hotel-boutique começou, em maio, a ter a nova gestão da marca Unlock. “Tínhamos este hotel muito bonito no centro de Viana, e a primeira coisa que fizemos ao assumir a sua gestão foi pensar com os proprietários como lhe podíamos acrescentar mais valor”, adianta Miguel Velez, CEO e fundador da Unlock.

Tratando-se de um hotel no Minho, o tema da filigrana surgiu de forma quase natural. “As filigranas são um produto português muito apreciado, a nível nacional e internacional. Basta ver que quando o Mário Ferreira (da Douro Azul) ofereceu o coração a Sharon Stone, ela foi logo vista nas ruas a usá-lo”, faz notar Velez.

CORAÇÃO GIGANTE O icónico coração de grandes dimensões foi produzido à medida pela I'm Art para a Casa Melo Alvim

CORAÇÃO GIGANTE O icónico coração de grandes dimensões foi produzido à medida pela I'm Art para a Casa Melo Alvim

Na Casa Melo Alvim, esta opção levou a firmar uma parceria com a I'm Art, ourivesaria portuguesa especializada em produção design, como filigranas ou joias de desenho antigo, que recuperam a arte da joalharia galaico-portuguesa com mais de dois mil anos, em peças de prata com marcassites, pedras com brilho escuro, ou zircónias, com lapidação tipo diamante.
Uma das peças mais marcantes do hotel em Viana do Castelo é um icónico coração gigante em filigrana produzido à medida pela I'm Art para a Casa Melo Alvim, que passou a dominar a decoração da área do lóbi.

QUARTOS DE ÉPOCA No solar histórico do Minho os quartos - representam diversas épocas de Portugal

QUARTOS DE ÉPOCA No solar histórico do Minho os quartos - representam diversas épocas de Portugal

“Alterámos todo o 'layout' do hotel e criámos no lóbi a maior montra comercial de filigranas no país, com expositores onde estão centenas de peças, e muito no sentido de explorar o que é português”, refere o responsável da Unlock. “É com este tipo de coisas queremos trabalhar, pois dão genuinidade ao produto”.

Segundo Miguel Velez, é ainda prematuro antecipar o aumento de receitas que irá trazer a reconversão do hotel com a tematização nas filigranas, uma vez que a cadeia só assumiu a sua gestão em maio - mas sendo certo que o “acréscimo de receita, redução de custos e aumento da rentabilidade” são os objetivos da Unlock para as unidades que assume.

TURISMO COM HISTÓRIA A Casa Melo Alvim é a primeira unidade gerida pela Unlock, cadeia

TURISMO COM HISTÓRIA A Casa Melo Alvim é a primeira unidade gerida pela Unlock, cadeia

“É cedo para quantificar em resultados, mas constatamos que as filigranas têm tido uma aceitação espetacular por parte dos hóspedes do hotel, e que estes voltam mais satisfeitos do que à chegada, o que também é um dos nossos objetivos. Quando pegamos nos hotéis, o lucro não é o único propósito, mas sobretudo a perspetiva de lhe acrescentar valor”, salienta Miguel Velez.

Além de estarem em exposição, as filigranas também estão disponíveis para venda na Casa Melo Alvim. “Neste campo tem sido um sucesso. Num só dia venderam-se 13 filigranas, a cerca de 700 euros cada, e isto em termos médios pois também temos peças a 3 mil euros. E é este o tipo de impacto que queremos gerar no hotel”, refere o gestor da unidade turística.

ESTILO PORTUGUÊS O 20 quartos e suítes espelham

ESTILO PORTUGUÊS O 20 quartos e suítes espelham

Recriar a arquitetura portuguesa, na sua diversidade de estilos, é uma das tónicas da decoração do hotel no solar histórico do Minho, que integra 20 quartos e suítes. “Os quartos são todos diferentes e representam diversas épocas de Portugal, há uns com mobiliário mais indo-português ou outros de épocas mais modernas”, descreve Miguel Velez, referindo também estar aqui representado o manuelino, o estilo “chão”, o barroco ou o romântico.

A Casa Melo Alvim foi a primeira unidade a ser assumida pela cadeia Unlock (que em junho também começou a gerir o Hotel da Estrela, em Lisboa), uma nova marca portuguesa especializada na gestão de hotéis de charme, fundada por três quadros de topo de grupos hoteleiros. Além de Miguel Velez, que em abril deixou o cargo de administrador das Pousadas de Portugal para se dedicar ao projeto, também são fundadores da Unlock Martinho Fortunato, administrador de diversas empresas do grupo MSF, e Adrian Bridge, CEO do grupo The Fladgate Partnership, detentor do hotel The Yeatman e de casas de vinho do Porto como Taylor's, Fonseca ou Croft.

DAR ESCALA Pequenos hotéis, como a Casa Melo Alvim, representam 90% do sector em Portuga

DAR ESCALA Pequenos hotéis, como a Casa Melo Alvim, representam 90% do sector em Portuga

“Ao analisar o mercado em Portugal, constatámos que só cerca de 10% em cerca de 2 mil hotéis existentes no país pertencem
a cadeias, a grande maioria são hotéis independentes”, faz notar o administrador da Unlock. “Quisemos trazer aqui a nossa experiência e 'know-how' e dar um contributo para que estes pequenos hotéis, que estão sozinhos no mercado e têm dificuldades diversas ao nível de promoção ou gestão, possam atingir a escala que precisam”.