Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Instituto Português do Sangue apela a doação de sangue O- e A-

  • 333

APOIO. Assembleia da República deverá iniciar debate para permitir a morte assistida. Referendo não é consensual

LUÍS BARRA

Como “o mês de agosto é complicado para a colheita”, Instituto deixa “alerta aos dadores” dos “dois grupos problemáticos”

O presidente do Instituto Português do Sangue e Transplantação (IPST), Hélder Trindade, apelou esta sexta-feira aos portugueses com tipo de sangue O- e A- para fazerem as suas dádivas, contribuindo para que doentes e hospitais tenham um verão tranquilo.

Hélder Trindade ressalvou que, “neste momento, quer em termos nacionais, quer em termos do IPST”, as reservas de sangue estão “estáveis” e “são confortáveis”, com “mais de sete a dez dias, para a maior parte dos grupos” sanguíneos.

Contudo, como “o mês de agosto é complicado para a colheita”, “aproveito para deixar este alerta aos dadores que são A- e O-”, que são os dois grupos problemáticos, disse Hélder Trindade aos jornalistas, no final de uma visita ao centro de transplantação do Hospital Curry Cabral, em Lisboa, onde acompanhou o secretário de Estado da Saúde, Manuel Delgado.

O apelo aos dadores não regulares, para que “aproveitem esta época de verão para fazer as suas dádivas, permitirá que os doentes tenham o verão com a sua doença, mas sem correr mais riscos, [e] o ISPT esteja tranquilo”, assim como os hospitais, sublinhou.

“Diria que estamos bem - acrescentou Hélder Trindade -, mas, no sangue, temos de manter sistematicamente este alerta e, sobretudo, em relação a estes dois grupos”, concluiu.