Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Paraísos dos mirins

  • 333

Na Terra do Sempre há quartos que permitem mergulhar diretamente no 
reino da fantasia

foto Isabel Saldanha

Quem tem filhos sabe que nem sempre férias são sinónimo de descanso. Mas há locais que pensaram em quase tudo para lhe garantir — a si e aos mais novos — uma estadia tranquila

As histórias infantis vêm sempre com pozinhos de magia. Os contos têm a faculdade de fazer sonhar, talvez porque são escutados numa idade em que a descoberta traz consigo o sabor dos sorrisos ou por desenharem universos de fantasia nos quais apetece mergulhar. O espaço Terra do Sempre, em Grândola, está tão longe e ao mesmo tempo tão perto da Terra do Nunca, onde moram Peter Pan, Sininho e os meninos perdidos. Os quartos dão acesso a mundos encantados. Os mais sonhadores podem dormir no quarto de Neverland ou de Alice (no País das Maravilhas), onde um coelho que anda sempre atrasado assume a forma de um candeeiro e onde há chávenas penduradas no teto... É natural que os mais aventureiros prefiram os aposentos de Tom Sawyer ou de Robin Hood e que os mais românticos escolham o E Foram Felizes para Sempre ou o Romeu e Julieta. A verdade é que em qualquer um dos sete quartos da Terra do Sempre, em que as ilustrações de Alexandra Prieto preenchem uma das paredes com mestria, o mundo da fantasia está sempre presente.

Não será difícil convencer os seus filhos a passar o fim de semana num hotel no campo onde podem ter um quarto identificado com o seu herói. Mas se forem ossos duros de roer, há uma série de outros motivos que facilmente os levarão até lá. Cinema ao ar livre, jogos tradicionais, ateliês na quinta do Manuel e da Gertrudes — logo ali ao lado do turismo rural — para aprender a cuidar dos animais e fazer um piquenique, passeios e trilhos em família ou surf são algumas das atividades que farão as delícias dos mais novos. Nada disto aconteceu por acaso. Na génese deste turismo rural, aberto há menos de um ano, está... uma família. Mãe, pai, três filhos, avó, empregada e cão mudaram-se de Lisboa para o campo. Bárbara Alves da Costa, jornalista, e Pedro Ramos, arquiteto, pegaram na família alargada e rumaram a outra vida, 100% diferente. É natural, por isso, que tivessem planeado transformar o monte da casa de férias num projeto que agradasse a todos os seus novos habitantes. Este verão, há ainda uma outra novidade: uma parceria com o Badoca Park, um jardim zoológico em jeito de safari, a 34 quilómetros de Grândola, com zebras, girafas e muitos animais que o farão viajar até à savana africana. Com todos estes incentivos, difícil será ficar em casa.

De norte a sul do país, na praia ou no campo, é possível passar férias divertidas em família. Pode ser numa casa na árvore, num hotel dedicado ao chocolate, numa praia que oferece múltiplas atividades com os mais novos ou num quarto que é a história de um herói dos contos da nossa infância

De norte a sul do país, na praia ou no campo, é possível passar férias divertidas em família. Pode ser numa casa na árvore, num hotel dedicado ao chocolate, numa praia que oferece múltiplas atividades com os mais novos ou num quarto que é a história de um herói dos contos da nossa infância

A sul, em Sagres, o hotel do Martinhal é também uma boa opção para quem tem famílias grandes, com vários filhos. Para os mais pequenos, existe uma creche e serviço de babysitting (precioso para os pais que precisam de uma noite de folga); tem um clube, os Raposinhos, com atividades para crianças até aos 8 anos, como pinturas faciais ou caças ao tesouro; e um espaço, o Blue Room, com jogos de consola, internet gratuita e matraquilhos para os adolescentes. Há ainda aulas de culinária, para quem estiver interessado, em 3300 metros quadrados dedicados às crianças. Todas as faixas etárias estão contempladas, para assegurarem algum tipo de conforto aos pais. Além disto, há outras atividades disponíveis, como ateliês de magia, viagens de balão, escalada, equitação, bicicletas, bird watching ou mergulho e observação de golfinhos. Duas piscinas, um spa a pensar nos mimos dos crescidos e uma praia ventosa, direcionada para o windsurf, são algumas das outras vantagens do Martinhal.

Mais casas na árvore

Num estilo completamente diferente, a norte, em Viana do Castelo, há um hotel (que é também restaurante e museu) que dificilmente não fará sucesso junto dos mais novos. O hotel Fábrica do Chocolate também transporta todos, miúdos e graúdos, para um mundo de doce fantasia. Toda a decoração do espaço remete para filmes como “Charlie e a Fábrica de Chocolate” (quarto Willy Wonka) ou o clássico “Chocolate”, protagonizado por Juliette Binoche e Johnny Depp, e tudo gira em torno da temática do chocolate. Na suíte Hansel & Gretel, as crianças têm uma casinha de doces em tamanho real para brincar. Há quartos inspirados nas roças de cacau do Equador e outros onde as paredes escorrem chocolate, os candeeiros derretem e há mesas de cabeceira em forma de tablete às quais falta uma dentada. A antiga fábrica de chocolate, que encerrou em 2004, deu origem a um hotel de charme com 18 quartos, restaurante (em que a matéria-prima assume um protagonismo especial) e museu, onde se conta a história do cacau. Há ainda serviços em torno das propriedades do ouro castanho, como o tratamento rejuvenescedor de chocoterapia ou as provas de degustação de chocolates de várias proveniências. Doces razões para passar bons dias de férias.

Na senda da comunhão com a natureza, mas com uma componente de design muito mais acentuada (a piscar mais o olho aos pais do que aos filhos), está o parque Pedras Salgadas, em Vila Pouca de Aguiar, a cerca de uma hora do Porto. São 20 hectares de puro verde, com caminhos para percorrer a pé ou de bicicleta e uma série de eco-houses, desenhadas pelo arquiteto Luís Rebelo de Andrade, que permitem uma vivência próxima da natureza. Como no livro do herói infantil Tom Sawyer, há também casas na árvore (tree-houses) — estas com um aspeto bastante mais moderno e janelas de teto a permitir generosas visões do céu estrelado. Nesta pérola do turismo termal, em que o spa foi renovado pelo arquiteto Siza Vieira, em 2009, há ainda valências a pensar nos mais pequenos: um eco-lounge com sala de jogos para crianças, parque infantil e um spa com massagens para todos — existem umas específicas de 20 minutos para os mais novos.

Aquele que foi um destino de férias da realeza, no século XIX, com a visita frequente do rei D. Carlos para tratamento dos males do aparelho digestivo (ponto forte destas termas ainda hoje), mantém algumas das suas características especiais. O imponente projeto arquitetónico de raiz, com três hotéis dentro do parque; a Casa de Chá, hoje restaurante; o Casino, inaugurado em 1910. Também o lago, as piscinas, o minigolfe e o campo de ténis acrescentam valências modernas ao complexo, assegurando uma diversidade muito interessante. Não é impossível passar uma temporada relaxante num hotel com os seus filhos. Basta ter em conta as idades e tentar perceber quais os locais que melhor se adaptam aos seus interesses. Escolha não falta.

Artigo publicado na edição do EXPRESSO de 25 junho 2016