Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Dez destinos ‘gay-friendly’

  • 333

Long Duk Yiw

Quer saber quais os países que recebem a comunidade LGBT de braços abertos? Ora leia

ÁSIA

1- Filipinas

A ilha de Boracay, nas Filipinas, acolhe bem a comunidade LGBT

A ilha de Boracay, nas Filipinas, acolhe bem a comunidade LGBT

Ania Blazejewska

Neste arquipélago do Pacífico com mais de 7000 ilhas, quase todas as paisagens contêm uma beleza de postal. O povo orgulha-se da sua hospitalidade – e receber bem significa abrir os braços a todos. Aqui, foi recentemente eleita uma mulher transgender para o congresso, fazendo História no país. Geraldine Roman é um exemplo da abertura das Filipinas à bandeira do arco-íris. Boracay, no centro do país, com as suas festas de boas-vindas e belas praias, é um dos locais onde a comunidade LGBT costuma sentir-se mais em casa.

2- Vietname e Cambodja

Em Saigão, no Vietname, começa a surgir um nicho de locais que dão as boas-vindas à comunidade LGBT

Em Saigão, no Vietname, começa a surgir um nicho de locais que dão as boas-vindas à comunidade LGBT

John S Lander

Apesar de esta região do Sudeste Asiático não ser, tradicionalmente, a mais aberta à comunidade LGBT, a verdade é que começam a florescer, nas capitais do Vietname, Laos e Cambodja, negócios que são propriedade de 'gays' e que lhes dão as boas-vindas. Em Saigão, no Vietname, em Yangon, em Myanmar, e em Phnom Penn, no Cambodja, há um surgimento de bares, clubes noturnos, saunas e hotéis que embora não exibam a bandeira do arco-íris à porta, recebem com agrado esta comunidade.

3- Tailândia

Em Patong, na Tailândia, tanto a vida noturna, com os típicos "ladyboys", como a praia, são locais onde é comum ver muitos 'gays'

Em Patong, na Tailândia, tanto a vida noturna, com os típicos "ladyboys", como a praia, são locais onde é comum ver muitos 'gays'

Long Duk Yiw

É um destino clássico para a comunidade LGBT, com os espectáculos de 'lady boys', bares gay, discotecas, festas de piscina e saunas que dão as boas-vindas à nação do arco-íris. Em Phuket, no Sul do país, uma bela zona balnear, há até praias 'gay', como a de Patong. Além disso, foi recentemente aprovada na Tailândia a Lei pela Igualdade de Género, que procura proteger os membros LGBT de sofrerem discriminações devido à sua orientação sexual ou identidade de género.

EUROPA

4 – Paris

O bairro do Marais, em Paris, é conhecido como um dos melhores 'gay villages' da Europa

O bairro do Marais, em Paris, é conhecido como um dos melhores 'gay villages' da Europa

Jean-Erick PASQUIER

A cidade-luz, onde brilha a Torre Eiffel, foi sempre uma cidade tolerante e aberta à comunidade gay. A "Gay Paree" - assim conhecida entre os anglófonos por causa do significado da palavra "gai" em francês ("Feliz") - deve também muita da sua abertura ao universo LGBT ao ambiente de excessos vivido pelo meio artístico na viragem do século XIX para o século XX. Hoje não falta oferta para o público gay, do mais refinado ao mais popular. Hotéis, clubes noturnos ou saunas rivalizam pela escolha. Ou pode tão simplesmente ir à praia urbana que ladeia o Sena, passear pelas ruas do Marais ou demorar-se nas esplanadas dos cafés parisienses.

5- Manchester

Manchester organiza um festival anual de "gay pride" que promove uma série de iniciativas pela cidade

Manchester organiza um festival anual de "gay pride" que promove uma série de iniciativas pela cidade

Nathan Cox

A cidade de Manchester, no Reino Unido, tem uma fortíssima comunidade LGBT. Tem até uma "gay village", cheio de bares, lojas e restaurantes com proprietários gay, como o Richmond Tea Rooms. Aqui há também um festival dedicado aos transgénero, o "Sparkle, Celebração Nacional dos Transgender", de 8 a 10 de julho. Manchester acolhe ainda a Fundação LGBT, uma ONG nacional, e o Manchester Pride, que organiza vários eventos. O festival anual Pride Manchester também promove uma série de iniciativas pela cidade.

6- Ilhas gregas

A romântica ilha de Milos, na Grécia, dá as boas-vindas ao universo LGBT

A romântica ilha de Milos, na Grécia, dá as boas-vindas ao universo LGBT

Marka

Para lá de Lesbos e Mikonos, conhecidas há anos pelo seu ambiente 'gay friendly', existem muitas outras ilhas cada vez mais despertas para este público. Milos, no arquipélago das Cíclades, é palco de cenários naturais incríveis, praias de águas transparentes e cenários românticos. Folegandros, no mesmo arquipélago, é uma pequena ilha charmosa e acolhedora, com óptima comida e hotéis simpáticos. Skiathos, considerado "o próximo destino a ser descoberto", no arquipélago das Spórades (a nordeste das Cíclades), acrescenta às características das outras ilhas uma efervescente vida noturna. E há outras ainda, a descobrir.

AMÉRICA

6 - Rio de Janeiro

A praia de Ipanema, assim como a zona em redor, é conhecida como sendo a mais "gay-friendly"

A praia de Ipanema, assim como a zona em redor, é conhecida como sendo a mais "gay-friendly"

Tim Clayton

Se há gente que sabe fazer a festa são os brasileiros. E os "cariocas", os habitantes do Rio de Janeiro, não escapam à regra. Este ano, com os Jogos Olímpicos em agosto, há ainda mais razões para celebrar na cidade do Cristo Redentor. Em matéria de costumes, os brasileiros são conhecidos pela sua abertura e espírito de tolerância. A zona de Copacabana e de Ipanema é a que tem mais bares gay, hotéis e clubes que dão as boas-vindas à comunidade LGBT. Em questão de praia, a mais "gay friendly" é a de Ipanema, no final da Rua Farme de Amoedo. Quanto a 'movida' noturna, o "Le Boy", em Copacabana, ou o "The Week", no centro, são opções populares entre a comunidade.

7 - Puna, Hawai

O Hawai combina uma paisagem linda, com praias de areia vulcânica, com a tolerância e abertura da sua gente

O Hawai combina uma paisagem linda, com praias de areia vulcânica, com a tolerância e abertura da sua gente

DEA PICTURE LIBRARY

Na ponta oriental da Ilha do Hawaii (Ilha Grande), o distrito de Puna acolhe uma comunidade muito "queer", assegura Davey Wavey, youtuber com quase um milhão de subscritores - e gay assumido. Em Kalani, existe um retiro fundado por um gay, Richard Kood, que faz qualquer membro da comunidade LGBT sentir-se bem-vindo – e a própria região acolhe transgenders, além dos 'tradicionais' gays e lésbicas. O cenário de beleza natural é uma razão de peso para visitar a ilha. Puna é um lugar mágico, onde a floresta tropical encontra o oceano, aliando à exuberância da selva penhascos dramáticos formados pela lava negra e praias em que a areia escura contrasta com o verde da natureza e do azul do mar.

8- Taiti

Em Bora Bora, no Tahiti, o estilo descontraído da população casa bem com a abertura a todos os que quiserem vir

Em Bora Bora, no Tahiti, o estilo descontraído da população casa bem com a abertura a todos os que quiserem vir

Mike Hewitt - FIFA

Outra ilha do Pacífico de grande beleza e com tradição "gayfriendly" é o Taiti. Integrados na Polinésia francesa, e sujeita à jurisdição daquela nação europeia, os ilhéus herdaram parte da liberalidade dos franceses relativamente à orientação e preferência sexual das pessoas. Os locais partilham essa mesma cultura, acrescentando-lhe uma forma positiva e descontraída de viver a vida, em que a discriminação não está incluída. Entre competições de surf e festivais variados de música e dança, destaca-se o "Heiva i Tahiti", de 7 a 23 de julho, na capital, Papeete - um evento icónico da cultura polinésia que é mostra e competição de danças e coreografias, preparadas ao longo de meses, e baseadas em temas históricos ou folclóricos. Até 24 de julho, outro festival, o "Heiva i Bora Bora", em Vaitape, também vale a pena: cantos, dança e competições de desportos tradicionais, além de artesanato, são algumas das propostas.

9 - Santa Fé e Taos, no Novo México (EUA)

Em Santa Fé, a natureza convive com um núcleo emergente de casais de mulheres lésbicas

Em Santa Fé, a natureza convive com um núcleo emergente de casais de mulheres lésbicas

Bruce Dale

Estas novas cidades do Novo México, nos EUA, são particularmente populares para casais de mulheres, já que integram vários negócios locais que são propriedade de lésbicas. O atual presidente de Santa Fe, Javier Gonzales, é o primeiro gay assumido no cargo e autor de uma nova lei que levou as casas-de-banho públicas a terem um único símbolo à porta – o neutro. Já em Taos, o Bistro Sugar Nymphs é um dos locais recomendados, assim como uma visita à pousada histórica de Mabel Dodge Luhan, uma 'socialite' bisexual de Nova-Iorque que casou com um índio nativo de Taos e ali conduziu uma salão literário e artístico que se tornou um polo de atração.

10 - Nashville, EUA

Em Nashville, nos EUA, ao lado de estabelecimentos históricos nasceu uma correnteza de bares 'gay' no Midtown

Em Nashville, nos EUA, ao lado de estabelecimentos históricos nasceu uma correnteza de bares 'gay' no Midtown

David Redfern

Neste estado norte-americano conhecido pela cena musical (ou não fosse a terra de Johnny Cash), existe, ao contrário do que muitos pensam, abertura à comunidade LGBT, garante Jim Werner, cofundador do site de viagens gay "Fagabond". Existe uma série de bares para gays e lésbicas, como o Lipstick Lounge ou o Drag'n Brunch, no Leste e no centro da cidade. A zona mais popular é o midtown, em torno de Church Street. Aí, há uma correnteza de bares 'gay' que tanto permitem beber um copo depois do jantar como dançar noite fora.