Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

O robô que ensina a fazer outros robôs

  • 333

O estilo gingão, o formato e as “expressões” do Zowi funcionaram como um íman para as crianças que pedimos para interagir com este pequeno robô. Este “amor à primeira vista” pode ser o segredo para levar os mais pequenos a despertarem o espírito inventivo. Isto porque o Zowi é, de facto, muito mais que um brinquedo

Quando conhecemos o Zowi, este robô era um projeto da Bq para makers baseado num projeto de impressão 3D (ver AQUI). Mas a reação do mercado – em Espanha o Zowi tornou-se uma pequena estrela devido à presença na programação infantil da televisão pública – fez com que a Bq industrializasse a produção. Mas isso não alterou o conceito geral do aparelho: desmontável, transformável e programável.

Toca a “partir”

No interior do Zowi, a que é fácil chegar – até são fornecidas as ferramentas para desmontar o robô –, encontramos uma placa eletrónica controladora desenhada pela Bq compatível com Arduino. Esta é uma plataforma que permite desenvolver protótipos de baixo custo, juntando hardware com software (programação fácil). Não se assuste: como já explicaremos, não é preciso saber programar nem sequer saber o que é um chip para utilizar o Zowi. Mas esta base tecnológica significa que a criança pode acabar por desenvolver competências mais avançadas.
O sistema inclui microfone e altifalante, uma bateria com boa capacidade, dois sensores de ultrassons (os olhos), quatro servos Futaba (os motores dos movimentos) e uma matriz LED (a boca).

Na traseira do robô existem três botões: ligar/desligar e dois “atalhos” para carregar programas. Mal retiramos o Zowi da caixa podemos usar dois programas pré-carregados, que fazem o Zowi reagir a palmas ou a toques. A app para smartphone (ligação Bluetooth) pode funcionar como comando à distância.

Mas há muitas mais possibilidades na app grátis: podemos controlar todos os movimentos do Zowi, aplicar variadíssimos tipos de expressões para a boca, correr alguns jogos interativos e até fazer pequenos programas com base em rotinas já disponíveis. Por exemplo: dar cinco passos em frente a uma velocidade média, rodar para a esquerda em velocidade baixa, colocar-se em bicos dos pés e alterar o tipo de sorriso. O suficiente para começar a interagir de modo mais profundo com o robô e fazer as crianças sorrirem. No fundo, programar o robô sem saber nada de código. Apenas temos de usar a interface gráfica intuitiva.

Passo seguinte

Mas o melhor é a plataforma Bitbloq (ver AQUI bitbloq.bq.com), onde é possível criar programas bem mais complexos usando blocos gráficos simples de entender – é uma questão de arrastar e largar. Esta plataforma já está disponível em Português, o que facilita o acesso aos mais novos. Mas experimentámos problemas ao instalar a ferramenta de ligação do Zowi ao PC, o que pode criar problemas aos menos experientes.

Não só o software pode ser alterado. É também possível criar outros robôs ou até mesmo outro tipo de máquinas com base nesta plataforma. Sobretudo se as crianças tiverem acesso a uma impressora 3D. A placa de controlo tem conetores livres para adicionar mais atuadores ou sensores. No site da Bq há uma série de projetos, sugestões experiências e vídeos que ajudam nos primeiros passos.

CARACTERÍSTICAS

Placa controladora compatível Arduino
2x sensor ultrassons
Matriz LED de 5 x 6 píxeis
Bateria 3,7 V, 4040 mAh
4x servos Futaba s3003
Bluetooth, Micro USB
140x150x93 mm, 461 gramas
Bq Zowi €99,90