Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

“Financial Times” elege mestrado em Finanças da Nova como 14º melhor do mundo

  • 333

A Nova SBE é, uma vez mais, a única escola portuguesa a aparecer no ranking dos 55 melhores mestrados em Finanças elaborado pelo jornal britânico

O mestrado em Finanças da Nova School of Business and Economics (Nova SBE) é o 14ª melhor do mundo, de acordo com o ranking do Financial Times que acaba de ser publicado. A Nova SBE é assim uma das escolas mundiais que mais sobe na lista do jornal britânico, progredindo em cinco lugares na lista que ordena os 55 melhores mestrados em Finanças, de acordo com os critérios definidos pelo Financial Times.

A Nova SBE é, pelo sexto ano consecutivo, a única universidade portuguesa neste ranking, à frente de escolas conceituadas como a HEC Lausanne (Suíça), Stockholm School of Economics (Suécia), Warwick Business School (Reino Unido), entre outras.

As escolas ou universidades são selecionadas em função de critérios como recrutamento internacional, multiculturalidade proporcionada (através de alunos e professores) e formação em diferentes países em parceria com outras escolas.

Num dos critérios (experiência internacional), a universidade portuguesa tem novamente um lugar de destaque, posicionando-se no 3º lugar da lista. Embora este não seja um resultado tão positivo como o do ano anterior (onde, neste critério, liderava a lista), o diretor da Nova SBE, Daniel Traça, mostra-se satisfeito. “Os alunos conseguem colocação nas melhores praças financeiras mundiais e há empresas multinacionais que vêm fazer o seu recrutamento na Nova SBE de alunos portugueses e estrangeiros”, diz em comunicado enviado ao Expresso, referindo-se a instituições da área financeira como bancos centrais, HSBC, JP Morgan, Galdman Sachs, Mckinsey, entre outras.

O programa da Nova é ainda considerado o 19º melhor do mundo no que diz respeito ao retorno do investimento, com uma taxa de empregabilidade de 92% ao fim de três meses e 97% ao final de seis. As propinas para um ano e meio de aulas são cerca de dez mil euros.

No topo da lista do jornal britânico estão a HEC Paris (França), ESCP Europe (França, Reino Unido, Alemanha, Espanha e Itália) e a IE Business School (Espanha).