Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Portugal perdeu quase 33.500 residentes em 2015

  • 333

As estimativas de população residente em Portugal em 2015 apontam para um aumento do número de mortes e também de nados-vivos, mas continuaram a morrer mais pessoas do que a nascer

A população residente em Portugal teve uma redução de 0,32% em 2015, passando a 10,34 milhões de pessoas, o que reflete saldos migratório e natural negativos, segundo dados divulgados esta quinta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

As estimativas de população residente em Portugal em 2015 apontam para um aumento do número de mortes e também de nados-vivos, mas continuaram a morrer mais pessoas do que a nascer.

Assim, o saldo natural em 2015 foi negativo em 23.011 pessoas, ainda assim um ligeiro aumento relativamente a 2014, quando o balanço entre mortos e nados-vivos foi de menos 22.423.

Também o saldo migratório – diferença entre o número de pessoas que entra no país e do número de pessoas que sai – continuou negativo em 2015 (-10.481). Apesar disso, registou-se um aumento do número de imigrantes e a diminuição do número de emigrantes relativamente a 2014.

Globalmente, em 2015 continuou, embora atenuado, o decréscimo populacional que se tem verificado desde 2010. Em números brutos, houve menos 33.492 pessoas a residir no país no ano passado.

O INE regista um acentuar do envelhecimento demográfico: entre 2005 e 2015 há um duplo envelhecimento, com o número de idosos a aumentar em mais de 316 mil e o número de jovens até aos 15 anos a diminuir 208 mil. O número de pessoas em idade ativa – entre os 15 e os 64 anos – reduziu-se em 278 mil.