Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Nenhum colégio privado com contratos de associação apresentou novas turmas à revelia

  • 333

PAULO NOVAIS / Lusa

O prazo para estas escolas inscreverem novas turmas acabou na quarta-feira. Apenas apresentaram candidaturas as escolas e as turmas indicadas pelo Governo

Muitas das escolas que usufruíam dos contratos de associação e cujo financiamento foi cortado tinham ameaçado o Governo de que iriam avançar com a inscrição de novas turmas, à revelia do que tinha sido indicado pelo Ministério da Educação. Mas, afinal, esse cenário acabou por não se confirmar, conta a "TSF" esta quinta-feira.

O prazo para estas escolas inscreverem novas turmas acabou esta quarta-feira. Fonte do Ministério das Educação garantiu à estação de rádio que assim o assunto fica definitivamente encerrado. Apenas apresentaram candidatura as escolas e as turmas indicadas pelo Governo.

Tiago Brandão Rodrigues, ministro da Educação, foi o rosto desta disputa, sendo muitas vezes criticado pelos partidos da oposição. Para a memória ficará o momento em que foi comparado por António Costa a António Arnaut, fundador do Serviço Nacional de Saúde, durante o recente Congresso do PS, em que o ministro recebeu a maior ovação de todo o evento.

De acordo com um inquérito feito há uma semana, metade dos portugueses (49,8%) concordavam com o Governo na revisão dos contratos de associação com colégios privados e 39,7% estavam contra.