Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Ataque a discoteca nos Estados Unidos fez 20 mortos e mais de 40 feridos

  • 333

Imagem divulgada pela polícia de Orlando no Twitter mostra forte aparato junto à discoteca Pulse.

DR

Disparos durante a madrugada em discoteca na cidade de Orlando levaram a polícia a cercar o estabelecimento. Autoridades já confirmaram morte do atirador dentro da discoteca. Cerca de 20 pessoas morreram e há pelo menos 42 feridos

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

Um ataque na madrugada deste domingo a uma discoteca em Orlando, nos Estados Unidos da América, provocou aproximadamente 20 mortes e também ferimentos em pelo menos 42 pessoas, segundo informações divulgadas pela polícia de Orlando. As autoridades já tinham entretanto anunciado na sua conta no Twitter a morte do atirador que estava dentro da discoteca.

Os disparos ocorreram na discoteca Pulse, cerca das 2h locais (7h em Lisboa), com os responsáveis do estabelecimento a lançar de imediato um aviso no Facebook pedindo para as pessoas se manterem afastadas.

O apelo foi repetido via Twitter pelas autoridades norte-americanas, que de início falaram genericamente em “múltiplas vítimas”. Numa conferência de imprensa pouco depois das 7h locais (12h em Portugal Continental), a polícia de Orlando revelou que “há várias pessoas mortas dentro da discoteca”, acrescentando depois que há “aproximadamente 20 mortos”. “Pelo menos 42 pessoas feridas foram transportadas para vários hospitais da zona”, informou ainda a polícia.

O presidente da Câmara Municipal de Orlando, Buddy Dier, lamentou já o que qualificou como “um crime horrendo”, em que “muitas vidas foram perdidas”. O autarca apelou à união da população. “Somos uma comunidade forte e resiliente. Precisamos de ter força e de nos mantermos unidos”, afirmou durante a conferência de imprensa.

De acordo com as autoridades, cerca das 2h ocorreram disparos dentro da discoteca Pulse, em que estava presente um agente da polícia de Orlando, que se envolveu numa troca de tiros e chamou reforços. A situação evoluiu então para uma tomada de reféns. Às 5h a polícia decidiu avançar para o resgate dos reféns, numa operação que envolveu elementos das forças SWAT. O atirador tinha consigo uma espingarda e um revólver.

Segundo a CNN, ao início da manhã havia dúvidas sobre quantos atiradores atacaram os clientes da discoteca e sobre se eles ainda estavam dentro do estabelecimento. Houve também relatos de uma explosão no local, que esteve rodeado de carros da polícia e ambulâncias.

De acordo com informações entretanto divulgadas pela polícia de Orlando, o rebentamento ouvido no local “foi uma explosão controlada pelas autoridades”.

A polícia solicitou entretanto a todas as pessoas que testemunharam o ataque para se deslocarem à sua sede em Orlando para prestar depoimentos, lembrando que “qualquer informação” sobre o sucedido “pode ajudar os investigadores neste caso”.

Um responsável do FBI presente no local qualificou o ato como “um incidente de terror”. As autoridades irão agora investigar a história do atirador para averiguar se o ataque teve motivações ideológicas e pode ser classificado como terrorismo. A discoteca Pulse assume-se como um dos bares gay de referência em Orlando.