Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Verdes são os campos (de férias) da cor do verão

  • 333

Com o fim das aulas e o regresso do calor, é preciso ocupar os mais jovens com atividades que os enriqueçam. O verão é longo e as férias dos adultos são mais curtas do que as dos petizes

getty images

Os horários mudam, as rotinas também, e se o verão é sinónimo de calor e de dias maiores traz também tempo de sobra para os mais novos. Eles precisam de descanso e de tempo em família, mas nem sempre é fácil conciliar tudo. As férias dos adultos não duram de junho até setembro, e é necessário ocupar o excesso de tempo livre com campos ou colónias de férias. As aulas terminaram ontem para os alunos mais velhos — que ainda terão de dar provas dos conhecimentos nos exames nacionais do 9º, 11º e 12º anos —, e o calendário escolar está prestes a terminar para os restantes. A passada quinta-feira foi o último dia deste ano letivo, e depois disso a agenda dos pais torna-se ainda mais difícil. Urge descobrir as atividades interessantes e selecionar quais os locais disponíveis para receber os filhos durante o verão.

Não falamos de atividades que exijam o regresso ao quotidiano, com pressa de manhã para os deixar na colónia e hora marcada para os trazer de regresso a casa. A ideia é libertá-los aos poucos, dando-lhes novas competências, que os ajudam a crescer. A aventura da primeira noite sem os pais pode assustar, mas também é assim que os miúdos se tornam mais autónomos. Dormir em camaratas com os seus pares durante uma semana pode ser o ponto de partida para despertar o espírito aventureiro nos filhos. Só custa começar, e o melhor é não furar as normas com uma visita parental, que pode deitar tudo a perder.

De norte a sul, há campos de férias preparados para receber os mais novos, libertando os pais de uma das maiores preocupações nas interrupções escolares. Dos que preferem passar apenas uma semana fora aos que não se importam de cumprir as duas semanas (convém consultar os programas e verificar se as atividades não se repetem semanalmente), há jovens que, depois de experimentarem um campo de férias, já só querem regressar no ano seguinte. O objetivo é maior do que proporcionar bons momentos. Experiências como estas fomentam o espírito de equipa, a responsabilidade e a vontade de conhecer mais, mesmo que os participantes já conheçam algumas das zonas em que os campos de férias são organizados.

A vastidão do Parque Nacional da Peneda-Gerês convida ao descanso, mas é bem perto daquele verde intenso pontuado por cascatas (durante todo o ano) que se situa um segredo demasiado grande para permanecer incógnito. São 170 hectares para descobrir e explorar, constituindo aquele que é considerado o maior parque dedicado à temática da aventura da Península Ibérica. Aqui, no Parque Aventura Diverlanhoso, não há lugar para a inveja — há atividades para todas as faixas etárias —, mas é nas preparadas para os mais novos que nos centramos. Os campos de férias, para crianças e jovens entre os 6 e os 18 anos, podem ter a duração de 7 ou 14 dias e acontecem em regime de tudo incluído (com valores que oscilam entre os €275 e os €500). A lista de atividades programadas é vasta e inclui várias surpresas.

Com uma vertente radical vincada, o DiverLanhoso tem pontes suspensas — diurnas e noturnas — para atravessar e um sem-número de atividades que apenas costumam aparecer de forma isolada. Há slide normal e em posição de Super-Homem, soft-rafting, via ferrata, salto de pêndulo, caminhada aquática, batismo de mergulho, paintball, escalada, rappel suspenso, canoagem e salto em trapézio.

A conquista das férias prossegue, e no centro do país, em Tomar, existe um Campo Jovem com uma oferta completa para o período sem aulas. Perto da Cidade dos Templários, e também com a possibilidade de pernoitar durante uma ou duas semanas (7 dias por €275 e 15 dias por €450), há um espaço que inclui parede de escalada, campo de paintball e lasertag, campo e sala de jogos, picadeiros, quinta pedagógica e até um bar com karaoke. Apesar de todas as comodidades, as atividades não se esgotam nestes espaços. À semelhança do DiverLanhoso, aqui também há desportos radicais no programa.

Em tempo de férias não se fala de aulas, mas a exceção é feita para falar da Quinta da Escola, no concelho de Porto de Mós. No Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros existe um local que inclui um Centro de Educação Ambiental (que conta com uma horta pedagógica, um ecossistema aquático e um laboratório) e um Centro de Observação Astronómica, assim como um conjunto de infraestruturas para a realização de várias atividades lúdicas e desportivas.

Basta uma viagem curta para que se chegue à região Oeste, mas aqui há que contrariar a máxima cinematográfica “a Oeste nada de novo”. A menos de uma hora de Lisboa há várias propostas a considerar. No Tempo de Aventura, no Cadaval, explorar é a palavra de ordem. Das atividades desportivas aos peddy-papers, passando pelos jogos de orientação diurnos e raides noturnos, são muitas as tarefas programadas.

getty

Este não é o único espaço do género na região. Um pouco mais perto do mar, mas ainda numa região de baixio marcadamente agrícola, surgiu o Campo Aventura Júnior Resort, em Óbidos. Aqui as atividades também são variadas e o fator diversão não poderá faltar.

Na zona das Vendas Novas, já a sul de Lisboa, há um animal a tomar conta das ocorrências, e o Campo de Férias Castor é outra das opções disponíveis. Os turnos são semanais (€310,51) e só há 30 vagas a cada sete dias. No total são oito turnos, distribuídos entre 3 de julho e 27 de agosto, com a programação a repetir-se a cada semana. Aqui, além dos jogos de futebol e de voleibol, há outras atividades, com nomes originais, que fomentam a curiosidade dos mais novos. Destaque para os lasergames, crazy bubbles, seringaball, ponte do Indiana Jones e ainda para o misterioso jogo do castor.

FORA DE PORTUGAL

Se há propostas viradas para as atividades radicais, também existem experiências diferentes daquelas a que estamos habituados. Um campo de férias pode significar muito mais do que uns dias bem passados no meio da natureza e pode mesmo levar a uma viagem a um local desconhecido, fora do país.

Este ano, a Pranima, que organiza diversos programas de férias, preparou uma colónia especial. Finding Neverland é o nome desta aventura preparada para o verão de 2016, com escalas em Barcelona (com passagem pelo Port Aventura de Tarragona), Annecy, Zurique, Kandersteg, Amesterdão, Bruxelas, Paris (Disneyland incluída) e País Basco. Com o custo de €1635, a viagem começa a 30 de julho e termina a 13 de agosto, e — tendo em conta as características deste conjunto de atividades — o Finding Neverland apenas está disponível para jovens entre os 12 e os 21 anos.

Na hora de escolher, há que explorar a oferta disponível com os mais novos e perceber quais os campos de férias que incluem as atividades mais interessantes para eles. Não vale a pena levá-los contrariados, e cada criança tem a sua forma de pensar. O melhor é respeitá-la. Eles agradecem e decerto que também não se importam de gozar umas “férias de pais”.

Parque Aventura DiverLanhoso
Póvoa de Lanhoso
Tel. 253 635 763
www.diver.com.pt

Campo Jovem
Tomar
Tel. 214 149 310 / 962 785 998
www.campojovem.com

Quinta da Escola
Porto de Mós
Tel. 249 849 291
www.quintadaescola.com

Tempo de Aventura
Cadaval
Tel. 213 244 137 / 262 744 050
www.tempodeaventura.pt

Campo Aventura Júnior Resort
Óbidos
Tel. 262 968 870 / 91 935 29 98
www.campoaventura.pt

My Camp
Cartaxo
Tel. 243 719 307 / 913 451 840
www.mycamp.pt

Parque Aventura Sniper
Loures
Tel. 219 694 778 / 960 004 646
www.sniper.pt/campodeferias

Campo de Férias do Castor
Vendas Novas
Tel. 926 101 714
www.camposdeferias.com

Finding Neverland
Europa
Tel. 211 919 259 / 912 747 126
pranima.org

Artigo publicado na edição do EXPRESSO de 4 junho 2016