Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

PS recusa proposta do BE sobre limitações aos benefícios fiscais na Madeira

  • 333

NUNO VEIGA/LUSA

A proposta do BE pretendia que as empresas já licenciadas na ilha fossem obrigadas a garantir que os postos de trabalho que criam são contratos sem termo e a tempo completo

O Governo não vai fazer a vontade ao Bloco de Esquerda. António Costa não vai mexer no regime fiscal da Zona Franca da Madeira, como queria o BE, que pretendia apertar as condições de atribuição da taxa reduzida do IRC às empresas.

Segundo o “Jornal de Negócios” esta segunda-feira, o PS foi sensível aos argumentos das autoridades regionais, que alegaram que essa medida iria desestabilizar os investidores com negócios no arquipélago.

A proposta do BE pretendia que as empresas já licenciadas na ilha fossem obrigadas a garantir que os postos de trabalho que criaram são contratos sem termo e a tempo completo. E para novos licenciamentos, o desconto do IRC iria depender da criação de pelo menos 6 postos de trabalho e de um investimento mínimo de 100 mil euros.

Miguel Albuquerque, líder da Madeira, classificou esta proposta, na semana passada, como um “disparate ideológico sem pés nem cabeça”.