Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Mãe do miúdo de três anos que caiu no fosso do gorila não será julgada

  • 333

HARAMBE. O gorila não é a única vítima desta história

FOTO CINCINNATI zoo

Procurador de Cincinatti diz que as ações da mulher “não ficaram sequer perto” de poderem ser consideradas negligentes. Serviços sociais visitaram a família e ficaram “impressionados” com o ambiente em que a criança vive

Michelle Gregg, a mãe do miúdo de três anos que, há uma semana, caiu no fosso de um gorila, no Zoo de Cincinatti, Estados Unidos, não será alvo de qualquer acusação, revelou esta segunda-feira a justiça americana. Apesar de mais de meio milhão de pessoas terem assinado uma petição pedindo que os pais da criança fossem responsabilizados pela morte do gorila Harembe, abatido para proteger o rapaz, o procurador do condado de Hamilton, Joe Deters, anunciou em conferência de imprensa que não haverá lugar a qualquer ação judicial.

O procurador revelou também que não haverá nenhum processo contra os responsáveis do zoo, que "agiram corretamente ao tomar uma ação imediata para salvaguardar a vida da criança".

Segundo aquele magistrado, a mulher – que trabalha numa pré-primária perto de Cincinatti – tinha três outros filhos com ela e "virou-se durante poucos segundos para dar atenção a um deles". O rapaz aproveitou então para "sair disparado" e saltar a barreira de proteção, com menos de um metro de altura, acabando por cair no fosso dos gorilas.

Deters considerou que as ações da mãe "não ficaram nem perto" de poderem ser consideradas um descuido irresponsável. "Nenhuma das testemunhas descreveu a mulher como outra coisa que não extremamente atenta aos seus filhos", afirmou o procurador. Outros visitantes do zoo haviam já antes afirmado que a mulher advertiu claramente o rapaz para não tentar transpor a barreira e que este lhe terá escapado "em poucos segundos".

O magistrado adiantou que a família foi visitada pelos serviços sociais e que estes ficaram impressionados com o ambiente em que a criança vive. A família revelou ainda que o rapaz está a recuperar bem do acidente.

Segundo os responsáveis do Zoo de Cincinatti, esta foi a primeira vez nos 38 anos de existência do Mundo dos Gorilas que o espaço foi invadido por alguém. O zoo irá reabri-lo esta terça-feira com uma barreira mais alta e reforçada.

  • Há pessoas que conhecem as intenções dos gorilas e gostam de julgar, na praça pública, homens sensatos; há pessoas que não gostam de touradas porque matam os touros, mas não se importam com espetáculos onde pessoas são humilhadas; há pessoas que acham que a caça, a primeira das atividades humanas, deveria ser proibida. Há uma inversão de valores total, feita em manada sempre com o apoio das inestimáveis redes sociais.