Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Quer um objecto único, como sempre idealizou? A Hermès cria para si

  • 333

Julien OPPENHEIM

No mundo do superluxo “sur-mesure”, a marca francesa Hermès tem um departamento especializado em realizar sonhos de clientes individuais. Podem ser barcos, carros, objetos de decoração ou móveis personalizados para arrumar relógios e jóias. Mas claro, tudo tem um preço...

Julien OPPENHEIM

"Há quase dois anos, um colecionador de carros antigos contactou-nos para partilhar o seu projeto", conta François Doré, diretor da Hermès Horizons, o departamento responsável pelo "sur-mesure" da maison de luxo francesa. "Queria reconstruir o Bugatti Royale de Ettore Bugatti", o fundador da marca automóvel italiana, um veículo que em 1929 ganhara o primeiro prémio de elegância, em Paris, associado a uma mala traseira que criada pela casa Hermès.

"Naturalmente, procurou-nos para que reconstruíssemos aquela mala. Trabalhámos em estreita colaboração em torno de fotografias de arquivo, e os nossos artesãos passaram longas horas de volta do mecanismo de abertura, cuja dobradiça era integralmente feita em couro. A mala está terminada. Ao longo de todo o processo, o cliente esteve pessoalmente muito implicado, passando longos períodos ao lado dos artesãos, no atelier da Hermès, trocando impressões sobre pesquisas e conclusões".

O interior do Bugatti Royale de Ettore Bugatti foi uma das "peças" que o departamento "sur mesure" da Hermès tratou. A mala de couro do carro centenário foi integralmente reconstruída.

O interior do Bugatti Royale de Ettore Bugatti foi uma das "peças" que o departamento "sur mesure" da Hermès tratou. A mala de couro do carro centenário foi integralmente reconstruída.

Alexis Goure

Este é apenas um exemplo que acontece todos os dias no departamento "sur-mesure" [à medida] da Hermès. A marca de luxo francesa teve sempre, na sua génese, a filosofia da qualidade e do "taylormade", feito à medida do cliente, mas "de há uma dezena de anos para cá, um departamento estruturou-se especificamente para trabalhar os grandes projetos "sur mesure" – nomeadamente na área da aeronáutica, da náutica e dos veículos motorizados", continua Doré, engenheiro de formação. Na Hermès desde 2006, François Doré tornou-se líder do departamento de forma a desenvolver os grandes projetos do "sur-mesure" ligados à mobilidade – barcos, carros e aeronáutica.

Eis, grosso modo, como funciona este departamento de superluxo: 'Eu tenho uma ideia. Quero executá-la. Pode ser um objeto de decoração, um móvel que sempre imaginei na minha cabeça, uma sela, um barco, um carro de coleção. Contacto o departamento 'sur-mesure' da Hermès. Eles fazem uma estimativa do orçamento e do tempo de execução, e avança-se, para um objeto único. Não há dois iguais no mundo'.

Neste departamento criado há uma dezena de anos, trabalham 35 pessoas - muitas delas artesãs.

Neste departamento criado há uma dezena de anos, trabalham 35 pessoas - muitas delas artesãs.

Alfredo Piola

Outro exemplo: um estojo em pele de cordeiro brilhante, verde, com uma alça, para ser transportada como uma mala de senhora, em forma de maçã. "Foi criado para uma pessoa que comia uma maçã por dia. Imaginámos uma caixa original para a transportar. O interior é em prata, o exterior em couro, e tem associada uma pequena faca, necessária para a degustação". Esta pessoa tem um estojo Hermès para transportar e comer a sua maçã, diariamente. Não há mais ninguém com o mesmo objeto no mundo. É claro que isto tem um preço (elevado).

Barcos ou aviões?

Anualmente, este departamento da Hermès faz "várias centenas de objetos 'sur-mesure". Cerca de 35 pessoas trabalham nestes projetos, embora possam ser requisitados mais funcionários para necessidades específicas. Há de tudo: barcos, cabinets de jóias, malas e cestos de piqueniques personalizados, estojos para instrumentos musicais, puxadores de portas, interiores de carros. Ou... aviões. "Fazer uma mala 'sur-mesure' pode demorar 10 meses, entre o briefing do cliente e a entrega na loja. Nos projetos de maior envergadura, como é o caso dos barcos ou aviões, o timing é em boa parte fixado pelo parceiro técnico. Pode ser um prazo curto, de cerca de quatro meses, no caso do interior de um carro, ou de 12 meses se falarmos de um avião", continua Doré.

Foi o caso dos assentos do Airbus ACJ (Airbus Corporate Jets) 319, que receberam o "tratamento de luxo elegante da Hermès". "Um cliente de Taiwan pediu-nos que fizéssemos os assentos e os sofás do seu avião. Queria introduzir o 'savoir-faire' da marroquinaria e dar elegância ao estilo", partilha François. "Criámos um assento único de estilo refinado, com bolsos laterais, sublinhado pelo contraste de costura, característico da nossa casa. Fizemos 17 assentos e três sofás. O projeto levou 14 meses, da assinatura do contrato à entrega. E uma vez mais, o cliente esteve sempre muito presente no acompanhamento".

Um 'cabinet' personalizado, para relógios e jóias - um exemplo de uma encomenda 'sur-mesure'

Um 'cabinet' personalizado, para relógios e jóias - um exemplo de uma encomenda 'sur-mesure'

Quentin Bertoux

Entre as nacionalidades destes clientes, há "europeus, russos, asiáticos, americanos", garantem-nos. Português, ainda não houve nenhum. Em comum, os clientes têm normalmente uma "proximidade real com a Hermès", afirma Doré – "relações de longa data, partilha de valores, respeito".

Aqui, importa contextualizar um pouco o legado e a história da Hermès. Fundada em 1837, em Paris, por Thierry Hermès, a casa começou pelas selas e os arreios dos cavalos, que vendia para a nobreza europeia – czar da Rússia incluído. Mas a maison de luxo cresceu e evoluiu para uma série de áreas afins, da marroquinaria à selaria, dos têxteis – pense nos famosos "carrés" da Hermès – e sedas aos perfumes, joalharia e ourivesaria, à decoração da casa e ao pronto a vestir. A Hermès representa hoje um universo de luxo e qualidade, sem contudo nunca querer associar-se à ostentação.

Um cesto de piquenique de luxo, com tudo o que é necessário - outra criação do 'sur mesure' da Hermès.

Um cesto de piquenique de luxo, com tudo o que é necessário - outra criação do 'sur mesure' da Hermès.

Hoje, o grupo conta mais de 10.000 trabalhadores – mas o que o diferencia de outras marcas é o facto de ser dos poucos (senão o único) grupos de luxo que se mantém nas mãos de uma família, a dos Dumas (uma das três herdeiras dos Hermès). Todos as outras grandes marcas (Louis Vuitton, etc...) pertencem a grandes conglomerados, e isso acarreta a perda de uma dimensão familiar, e de determinados valores familiares.

Quase dois séculos após a sua fundação, a Hermès soube crescer e adaptar-se ao mercado, estendendo-se pelo mundo. Financeiramente, está de boa saúde – em 2015, o seu volume de negócios foi de 4840 milhões de euros. E parece estar para durar. A qualidade tem tendência a perdurar.