Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Campanha do Banco Alimentar promove recolha de alimentos este fim de semana

Iniciativa visa apoiar mais de 426 mil pessoas

Cerca de 43.000 voluntários vão solicitar aos portugueses que contribuam para a tradicional campanha de recolha de alimentos do Banco Alimentar Contra a Fome, que decorre este sábado e no domingo e visa apoiar mais de 426 mil pessoas.

Com o mote "Partilhar sabe bem", a campanha tem como objetivo "levar comida a quem mais precisa e, desta forma, contribuir para inverter o cenário de carência alimentar que continua a afetar muitos cidadãos e famílias", refere a instituição em comunicado.

"O cenário de carência alimentar que afeta ainda muitos cidadãos e famílias continua a ser uma realidade, exigindo por isso a nossa atenção e uma resposta urgente de toda a sociedade civil", que não pode ficar indiferente a esta situação, afirma a presidente da Federação Portuguesa de Bancos Alimentares contra a Fome, Isabel Jonet.

Isabel Jonet explicou que mote da campanha "Partilhar sabe bem" pretende "criar um espírito de partilha e de entreajuda que permitirá, seguramente, multiplicar o apoio e a ajuda prestada a quem mais necessita, contribuindo de forma efetiva para fazer a diferença na vida de muitas pessoas".

Os portugueses podem contribuir na campanha doando alimentos nos super e hipermercados, mas também através de vales disponíveis nestes estabelecimento e nos postos de combustíveis entre hoje e 05 de junho e no portal de doação online www.alimentestaideia.net.

Além dos voluntários, associaram-se à campanha empresas e várias entidades, que disponibilizaram equipamentos e serviços, como transportes, publicidade, comunicação, seguros, segurança e alimentação.

Segundo dados da instituição, a campanha reúne 2.630 instituições de solidariedade social parceiras e 21 bancos alimentares de todo o país.

O Banco Alimentar de Lisboa celebra este ano 25 anos de existência, coincidindo com o Ano contra o Desperdício Alimentar, proclamado pela Assembleia da República.

"Ao longo destes anos foi possível concretizar efetivamente uma rede que, com base no mesmo modelo, abrange hoje quase todo o território nacional, lutando diariamente contra o desperdício de bens alimentares para os levar à mesa dos mais necessitados, com o envolvimento de um número crescente de voluntários", refere a instituição.