Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Concluídos inquéritos à morte de David Duarte no hospital de S. José

  • 333

David Duarte tinha 29 anos

Fonte do Ministério da Saúde adianta ao Expresso que os relatórios da administração do hospital e da IGAS sobre a morte do jovem de 29 anos, vítima de aneurisma, já foram concluídos e entregues à tutela

As conclusões dos inquéritos abertos pela Inspeção-geral das Atividades de Saúde (IGAS) e a administração do Hospital de S. José após a morte do jovem de 29 anos em dezembro de 2015, na sequência da rotura de um aneurisma, já foram entregues ao Ministério da Saúde. A informação foi confirmada ao Expresso por uma fonte no Ministério.

O jornal i avançou esta sexta-feira que a IGAS afasta qualquer responsabilidade de médicos, técnicos e enfermeiros. No entanto, a mesma fonte adianta ao Expresso que o conteúdo dos relatórios ainda não foi divulgado publicamente, uma vez o Ministério Público - que está também a investigar a morte de David Duarte, na sequência de uma queixa-crime apresentada pelos pais - está em processo de solicitar os documentos.

O inquérito da IGAS foi aberto uma semana depois da morte de David, com o intuito de avaliar as possíveis responsabilidades do hospital. Ou seja, se tinham sido cumpridas todas as regras no atendimento ao jovem.

David Duarte morreu na madrugada de domingo para segunda-feira do dia 14 de dezembro, após ter dado entrada no hospital de São José na sexta-feira anterior, com uma hemorragia provocada pela rotura de um aneurisma. A ausência de uma equipa especializada em neurocirurgia vascular disponível para o operar durante todo o fim de semana - ainda que o seu estado de saúde tenha sido considerado urgente - terá sido um dos fatores que levou à sua morte.

Médicos e enfermeiros responsabilizaram o Ministério então liderado por Paulo Macedo pelos cortes realizados na área da Saúde. O episódio motivou posteriormente uma reorganização das urgências de radiologia e neurologia nos hospitais da área da Grande Lisboa.

  • Por que razão ninguém chamou médicos para salvar David Duarte?

    Enfermeiros de São José foram os primeiros a recusar estar de prevenção aos sábados e domingos devido aos cortes de 50%, “arrastando” o resto da equipa de neurocirurgia vascular. Por isso, o Hospital acabou por não chamar ninguém quando David Duarte deu entrada com um aneurisma numa sexta-feira, tendo depois morrido por ser fim de semana e não haver quem o pudesse salvar

  • Morte de jovem no hospital: enfermeiros responsabilizam anterior Governo pela falta de equipa especializada

    Presidente do Sindicato dos Enfermeiros, que fala em “situação inacreditável”, diz que foi apresentada uma proposta ao Ministério então liderado por Paulo Macedo para resolver a falta de equipa de neurorradiologia de intervenção ao fim de semana na Grande Lisboa, não tendo sido dado “seguimento ao caso”. David Duarte, de 29 anos, morreu depois de lhe ter sido diagnosticado uma hemorragia cerebral decorrente de um aneurisma - a equipa que o podia salvar não o fez porque não trabalha ao sábado e domingo