Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Espião português apanhado a vender segredos à Rússia

  • 333

Um funcionário do Serviço de Informações de Segurança (SIS) foi apanhado, em Roma, depois de entregar documentos secretos a um agente russo. Ambos são suspeitos dos crimes de espionagem, corrupção e violação de segredo de Estado

Luísa Meireles

Luísa Meireles

Redatora Principal

Rui Gustavo

Rui Gustavo

Editor de Sociedade

Um dos mais antigos espiões do Serviço de Informações de Segurança (SIS) foi detido na sexta-feira, em Roma, após passar documentos secretos a um agente russo. Ao que o Expresso sabe, segundo fonte oficial, o espião detido tem as iniciais 'CG' e trabalha em Lisboa, tendo-se deslocado expressamente a Itália para o efeito.

A operação denominada “Top Secret” já estava em curso há um ano, tendo o português sido seguido até à Itália por agentes da PJ da Unidade Nacional Contra Terrorismo (UNCT).

Ambos foram detidos e presentes às “autoridades judiciárias italianas, tendo sido determinado que aguardem a extradição [para Portugal] em prisão preventiva”, refere a PJ em comunicado.

“A investigação iniciou-se na sequência de procedimentos de segurança levados a cabo pela Direção do Serviço de Informações de Segurança (SIS), tendo o Secretário-Geral de Informações da República Portuguesa (SIRP) participado factos ao Ministério Público que apontavam para a existência de suspeitas da prática de um crime de espionagem, por parte de um funcionário, a favor de um serviço de informações estrangeiro”, acrescenta o comunicado.

A PJ salienta ainda que a operação contou com a cooperação da Policia de Stato, de Itália - Divisione Investigazioni Generali e Operazioni Special (DIGOS), Interpol Roma, bem como do Eurojust.

Noutro comunicado da Procuradoria-Geral da República (PGR) é referido que foram feitas também buscas domiciliárias em Portugal e que “foram emitidos dois mandados de detenção europeus (MDE) e uma carta rogatória com pedido de cumprimento antecipado de diligências de recolha de prova.”