Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Às peças é melhor?

  • 333

d.r.

O LG G5 é o primeiro smartphone que pode ser atualizado através de módulos opcionais. Será suficiente para roubar mercado ao iPhone, da Apple, e aos Galaxy S, da Samsung?

No ano passado, o Projeto Ara, da Google, foi um dos pontos de maior interesse no Mobile World Congress. Trata-se de um telefone modular da Google desenhado para países em vias de desenvolvimento, que permite substituir os seus principais elementos e, assim, ganhar uma longevidade quase eterna. No entanto, esse projeto tarda em chegar e a LG antecipou-se no conceito. O fabricante coreano comercializa um novo smartphone que pode receber módulos e, assim, melhorar algumas capacidades.

Bom design

As linhas do G5 estão muito bem conseguidas. Não há arestas vivas e tudo é arredondado neste terminal. Aliás, no topo até parece que o vidro quase se mistura com o metal. Bonito e, pareceu-nos, resistente. E há uma grande diferença em termos de utilização típica dos últimos LG: os botões de volume saíram da parte de trás e vieram para a lateral.

O fundo do telefone sai. O processo não é tão intuitivo como antecipávamos. É preciso apanhar o jeito. É tudo uma questão de hábito. Nas várias experiências que efetuámos, os componentes pareceram-nos um pouco frágeis. Foi fácil mudar de bateria, o que é uma vantagem para ganhar autonomia. Basta investir numa bateria extra e mantê-la carregada para fazer a troca rápida. Além disso, usámos o módulo com câmara e o de som feito pela Bang & Olufsen. Em ambos os casos tudo correu sem problemas.

Atualizado e poderoso

O G5 vem com a versão mais recente do Android e a LG mudou a sua interface personalizada. Acabou a área de aplicações. Agora, à semelhança do que fez a Huawei, as apps ficam todos nos ecrãs principais, o que permite uma experiência mais imediata.

Também a câmara, ou melhor, as câmaras, seguem as tendências mais recentes: uma de 16 megapíxeis (MP) e outra wide de 8 MP. O objetivo é permitir tirar fotos tipo grande angular – ou seja, incluir mais cenário em cada captura. O teste que fizemos comprovou essa faculdade, que é muito fácil de utilizar. Basta fazer zoom com os dedos no ecrã. À frente há uma câmara de 8 MP e o vídeo pode ser gravado em 4K.

O processador Snapdragon 820, os 4 GB de memória e 32 GB de armazenamento (expansíveis até 2 terabytes – sim, leu bem)… são os motores deste terminal. O ecrã IPS é de 5,3” e tem uma resolução de 2560x1440 píxeis. Tudo motivos mais do que suficientes para dar ao G5 o rótulo de “topo de gama”. Na prática, estas características técnicas traduzem-se numa velocidade de resposta elevada, independentemente das apps utilizadas.

CARACTERÍSTICAS

Preço: €699
Sistema operativo: Android 6.0
Ecrã: IPS de 5,3” 2569x1440 píxeis
Processador: Snapdragon 820
Memória: 4 GB, 32 GB de armazenamento (expansível até 2 TB através de cartão microSD)
Conectividade: USB Type-C, NFC, Wi-Fi AC, BT 4.0
Sensor de impressões digitais
Câmaras: Frontais 8 MP, 16 MP e 8 MP (vídeo 4K)
Dimensões: 149,4x73,9x7,7mm / 159 g