Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Ministério da Educação divulga lista de colégios aos quais vai renovar apoio

  • 333

nuno fox

Foi esta sexta-feira divulgada a lista dos colégios que podem candidatar-se a financiamento do Estado para abrir novas turmas em início de ciclo (5º, 7º e 10º anos). Os restantes serão apenas financiados para garantir que os alunos concluem os ciclos

Dos 79 colégios com contrato de associação, o Ministério da Educação tinha anunciado esta semana 39 iriam deixar de receber financiamento do Estado para abrir turmas de início de ciclo (5º, 7º e 10º anos), que 19 veriam o seu financiamento reduzido e apenas 21 manteriam a oferta deste ano. A Direção-Geral de Administração Escolar (DGAE) disponibilizou esta noite na sua página da internet a lista dos colégios que poderão manter a sua oferta no próximo ano letivo. O site, no entanto, encontra-se indisponível e em manutenção à hora da publicação desta notícia.

Os estabelecimentos de ensino particular e cooperativo que vão poder manter a sua oferta, segundo avança o Ministério da Educação em comunicado, são aqueles que se encontram em localidades onde o Ministério considera existir “carência” na rede pública, ou seja, onde se considera que não existe alternativa para os alunos nas escolas públicas locais.

O Estado irá assim financiar 273 turmas em início de ciclo nos colégios privados no próximo ano letivo de 2016-2017, o que representa um corte de 57% no financiamento, já anunciado pela secretária de Estado Adjunta e da Educação, Alexandra Leitão. A maioria das turmas candidatas a financiamento pertence a escolas localizadas nas regiões norte e centro do país.

O procedimento para o concurso para extensão dos contratos de associação será feito através de uma plataforma disponibilizada pela DGAE e tem início às 10h do dia 30 de maio, terminado a 15 de junho às 18h.

Veja AQUI o aviso do Ministério da Educação de abertura de procedimento para celebração de contratos de extenção de contratos de associação no próximo ano letivo.

  • Tribunal de Coimbra aceita a primeira providência a favor dos colégios

    Colégio com contrato de associação contestou o despacho das matrículas, que condiciona a aceitação de novos alunos à área geográfica em que se insere. Movimento em defesa dos contratos de associação diz que vai entregar providências cautelares todos os dias para garantir que os alunos possam continuar a matricular-se

  • Por que é que o Estado precisa dos privados na Educação?

    Numa altura em que muito se discute o financiamento do Estado ao ensino privado, o Governo está decidido a não continuar a pagar turmas em colégios quando ao lado existam estabelecimentos públicos com vagas disponíveis. Mas também admite que vai continuar a precisar deste sector. Até para cumprir várias promessas que constam do programa do Governo e que dificilmente conseguiria se contasse apenas com a oferta pública. As áreas agora invocadas para acalmar a contestação do sector particular e cooperativo – pré-escolar, ensino artístico e cursos profissionais – são precisamente aquelas que há muito o Estado subsidia. E que o atual Governo promete continuar a financiar. Eis alguns números. E não são pequenos