Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Pena máxima para pai acusado de matar bebé para se vingar da mãe

  • 333

Homem de 34 anos que assassinou o próprio filho, um bebé de seis meses, em retaliação contra a sua ex-companheira foi condenado pelo Tribunal de Cascais a 25 anos de prisão. Defesa vai recorrer

O homem acusado de esfaquear mortalmente o filho de seis meses em abril de 2015, em Oeiras, foi condenado a 25 anos de prisão por um tribunal de júri composto por quatro cidadãos.

O Ministério Público (MP) tinha pedido uma pena de prisão não inferior a 20 anos para o arguido. A defesa reclamava inocência. A sentença foi proferida no Tribunal de Cascais ao início da tarde.

Pena máxima para o homem de 34 anos, acusado pelo Ministério Público da morte de um bebé, a 8 de abril de 2015, em retaliação contra a sua ex-companheira, a qual lhe teria dito que queria pôr fim à relação entre ambos, após descobrir que o suspeito mantinha o consumo de álcool.

O arguido, que se encontrava em prisão preventiva ao abrigo deste processo no Estabelecimento Prisional de Lisboa, acusado de homicídio qualificado, respondia ainda por explosão e incêndio, profanação de cadáver e homicídio, todos estes crimes na forma tentada, além de um crime de tráfico de droga. Só este último não foi dado como provado pelo Tribunal de Cascais.

Durante o julgamento ficou claro para o MP que o arguido tinha a intenção de matar o filho à facada e de que foi ele quem rodou os manípulos dos bicos do fogão para provocar uma fuga de gás e tentar provocar uma explosão.

O Ministério Público havia pedido uma pena de prisão não inferior a 20 anos e o advogado da assistente, mãe do bebé, a pena máxima.

A defesa do arguido reclamou a sua inocência e já comunicou esta terça-feira que vai recorrer da decisão.