Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

17 médicos reformados disponíveis para trabalhar no SNS

  • 333

Carl Court / Getty Images

Até ao final deste ano, o ministro da Saúde planeia contratar 200 médicos reformados para tentar reduzir o número de portugueses que ainda não têm um médico de família atribuído

Um mês depois de o Governo ter aprovado remunerações mais elevadas para os médicos reformados que aceitem trabalhar para o Serviço Nacional de Saúde, 17 clínicos já se candidataram para servir em unidades públicas, apurou o Expresso.

São médicos de família que estão disponíveis para exercer em unidades onde há utentes sem clínico assistente atribuído. Segundo a nova tabela de incentivos agora em vigor, estes médicos vão poder acumular a reforma com 75% do futuro salário assim que regressarem ao serviço do Estado. Até à tomada de posse do novo Governo e da entrada em vigor do Orçamento do Estado para 2016, os médicos nestas condições podiam acumular apenas um terço do salário ao valor da reforma.

Este grupo de 17 médicos entregou a candidatura através do portal na internet criado pela Administração Central do Sistema de Saúde, e o Governo espera que venham a surgir mais candidatos nos serviços regionais de Saúde.

Até ao final deste ano, o ministro da tutela planeia contratar 200 médicos reformados para tentar reduzir o número de portugueses que ainda não têm um médico de família atribuído. A intenção de Adalberto Campos Fernandes é a de que até ao final da legislatura possa envolver nesta iniciativa um total de 500 clínicos reformados, de modo a que em 2019 toda a população tenha acompanhamento regular assegurado nos cuidados primários.