Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Taxistas desmobilizam depois de receberem “algumas garantias”

  • 333

Em Lisboa, os taxistas juntaram-se na Assembleia da República até serem ouvidos pelo Governo

Marcos Borga

Na avenida dos Aliados, no Porto, o trânsito já está normalizado. Em Lisboa, o protesto antiUber termina depois de os taxistas se terem reunido com o secretário de Estado do Ambiente, do qual receberam “algumas garantias”

Centenas de taxistas começaram a desmobilizar pelas 20h da Assembleia da República, onde se mantiveram em protesto contra a Uber durante toda a tarde desta sexta-feira, após uma reunião com o secretário de Estado do Ambiente em que foram dadas “algumas garantias”.

A decisão foi anunciada ao início da noite pelo presidente da Federação Portuguesa do Táxi (FPT), Carlos Ramos, às dezenas de taxistas que ainda se mantinham em frente ao parlamento, depois de este responsável e o presidente da Associação Nacional de Transportadores Rodoviários em Automóveis Ligeiros (ANTRAL), Florêncio Almeida, terem recebido algumas garantias da parte do secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, José Mendes.

A exclusão da empresa de serviço de transporte privado Uber do grupo de trabalho criado pelo Governo para analisar os transportes urbanos e o facto de as conclusões que este grupo de trabalho apresentar terem de ser aplicadas a todos os operadores que pretendam trabalhar no setor, à semelhança dos taxistas, são garantias que as duas associações consideram positivas.

Mais a norte, na cidade do Porto, o trânsito na Avenida dos Aliados foi reaberto pouco depois das 20h, quando os taxistas começaram a dispersaram, informou à Lusa fonte policial. Segundo a PSP, pelas 20h15 a situação estava “normalizada”.
Ao final da tarde o trânsito foi cortado nos acessos à Avenida dos Aliados, onde se realizava a manifestação de taxistas contra a plataforma de serviço de transporte privado Uber.

No Porto, a Uber registou pelo menos três incidentes, dois com motoristas e um com uma utilizadora.

A PSP do Porto confirmou que o protesto desta sexta-feira dos taxistas contra a Uber originou, no Porto, vários incidentes que levaram a participações policiais devido a agressões e danos em viaturas.