Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Rui Moreira recebe taxistas nos Aliados. “O Porto é assim”

  • 333

Rui Duarte Silva

Questionado pelos jornalistas sobre se estava surpreendido com a manifestação dos taxistas, o presidente da Câmara respondeu que "não", porque “o Porto é assim”. Os profissionais esperam que o autarca possa, com a sua influência, intervir junto da tutela no sentido de obrigar à legalização da Uber

Várias centenas de taxistas que se manifestam esta sexta-feira contra o serviço Uber estão concentrados desde o final da manhã na Avenida dos Aliados, no Porto, a aguardar o final da reunião dos seus representantes com o presidente da Câmara.

O presidente Rui Moreira veio receber os representantes locais das duas associações que organizaram o protesto à porta de entrada da Câmara Municipal do Porto e acenou aos taxistas recebendo um forte aplauso, testemunhou a Lusa no local.

Questionado pelos jornalistas sobre se estava surpreendido com a manifestação dos taxistas, o presidente da Câmara respondeu que "não", porque "o Porto é assim".

As centenas de taxistas, que saíram das viaturas e se deslocaram até junto dos Paços do Concelho para serem recebidos pelo autarca no edifício da câmara, lançavam gritos de protesto como "Táxis sim, Uber Não". Alguns daqueles motoristas profissionais empenhavam bandeiras de Portugal o que motivou um forte aplauso dos manifestantes.

Os profissionais esperam que o autarca Rui Moreira, com a sua influência, possa intervir junto da tutela no sentido de obrigar à legalização da Uber.

Em declarações à Lusa, Manuel Almeida, da Associação de Táxis Invicta, disse que a presença da Uber no Porto se tem refletido nos serviços dos taxistas da cidade e que a procura não tem aumentado, "pelo contrário".

"Na cidade existem 700 táxis, mas dado o fluxo de turistas que têm existido, deviam ser insuficientes, mas não é isso que acontece, porque há táxis que acabam por ficar parados, porque o transporte é feito pela Uber", disse.

O taxista Manuel Almeida espera que o presidente da Câmara tome uma atitude, uma vez que a autarquia também perde dinheiro, "porque deixa de passar licenças".

O desfile, que teve início pelas 9h30 na praça Gonçalves Zarco, no Porto, terminou cerca das 11h perto do edifício da Câmara Municipal do Porto, na Avenida dos Aliados de forma pacífica, segundo a organização.