Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Diretor de campanha de Passos apanhado na investigação Lava-Jato

  • 333

Notícia é avançada pelo “Público”. André Gustavo foi o responsável pelas campanhas eleitorais do PSD em 2011 e 2015. Autoridades brasileiras querem saber mais sobre a sua atividade em Portugal

As autoridades policiais brasileiras querem saber que atividades desenvolveu em Portugal André Gustavo, o especialista em marketing político que foi responsável pelas campanhas eleitorais do PSD em 2011 e 2015.

O jornal “Público”, que avança a notícia, escreve que o pedido endereçado ao Ministério Público português é justificado pelo facto de o nome do pernambucano aparecer mencionado na 23.ª fase da operação Lava-Jato.

Contactado pelo Expresso, um responsável pelo gabinete de comunicação da Polícia Federal de Paraná, no Brasil, diz que “não pode comentar” a notícia. “Não temos feito qualquer tipo de comentários às noticias relativas à operaçao Lava-Jato”, acrescentou a mesma fonte.

O Expresso pediu um esclarecimentoi a Procuradoria-Geral da República, em Lisboa, mas até ao momento não obteve resposta. Fonte oficial da Polícia Judiciária disse desconhecer o assunto em causa.

Segundo o “Público”, o único registo empresarial de André Gustavo em Portugal é uma empresa unipessoal, criada em outubro de 2013, em Lisboa, cujo objeto social é a compra, venda e arrendamento de imóveis.

  • O homem que liderou a campanha de Passos: “Eu não gosto de protagonismo, nem de showzinho”

    André Gustavo, o especialista em publicidade e comunicação política que dirigiu a campanha de Passos Coelho, reconhece que o momento mais difícil foi o debate das TV. Em entrevista, fala dos erros do PS e da campanha “científica” da coligação, com sondagens e focus group permanentes, para medir a cada momento o que pensava o eleitorado e “perceber até onde se deve ir ou não se deve ir”. No dia em que se soube que André Gustavo foi apanhado pela investigação Lava-Jato, no Brasil, republicamos um artigo que saiu originalmente na edição de 8 de outubro de 2015 do Expresso Diário