Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Como avisar peões em perigo que vão a olhar para o telemóvel? Semáforos no chão

  • 333

KENZO TRIBOUILLARD/GETTY IMAGES

A experiência está a ser feita na Alemanha, e, se resultar, deverá ser imitada

Luís M. Faria

Jornalista

O problema dos acidentes causados por pessoas que vão a conduzir enquanto usam o telemóvel é bem conhecido. Menos falado mas não menos real é o das tragédias que resultam para peões que se deixam distrair dessa forma. Na Alemanha, uma jovem de quinze anos morreu recentemente atropelada quando ia a ouvir música e a usar o telemóvel enquanto atravessava uma passagem. Aconteceu em Munique, e foi notícia em todo o país. Outras cidades têm tido a sua quota de acidentes, geralmente não fatais, mas também preocupantes. Augsburgo, onde ainda há pouco dois peões foram atropelados pelo elétrico olhavam para o telemóvel, resolveu experimentar uma solução inovadora: semáforos no chão.

É uma solução especificamente designada para uma cidade que tem o sistema de elétrico, ou metro à superfície, que se encontra em muitos países na Europa, e não só. Dado que os peões circulam em íntima proximidade com esses veículos, faz sentido avisá-los sempre que se aproximam das linhas onde eles passam. Tal como os semáforos normais, os agora instalados em duas estações têm a cor verde e a vermelha (amarelo não, parece), para avisar se se pode passar ou não. O facto de as luzes serem visíveis à distância também os torna úteis para os ciclistas, que circulam a velocidades muito superiores.

Numa época de social media e de comentário permanente, já há gente a dizer que a solução agora testada não vai servir de nada e que as pessoas devem é ter atenção. Mas os responsáveis da companhia de transportes dizem que qualquer forma extra de avisar é uma forma extra de diminuir a probabilidade de ocorrências mortais. E não são os únicos a tentar soluções originais para o mesmo problema. Uma cidade chinesa criou há anos duas vias distintas para peões, uma destinada aos 'normais' e outra para os distraídos - os chamados 'smombies' (zombies do smartphone), que têm o hábito de colidir com velhos e crianças. Noutras cidades vai-se ainda mais longe, estabelecendo três vias pedestres distintas: uma para caminhantes, outra para corredores, e uma terceira para 'smombies'.