Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Pedalar pela saúde e o ambiente é objetivo nacional

  • 333

José Caria

O “Compromisso pela bicicleta” é lançado esta terça-feira, em Aveiro. Melhorar o ambiente e a vida nas vilas e cidades são dois dos objetivos

Carla Tomás

Carla Tomás

Jornalista

Estimular hábitos de vida saudáveis, reduzir a dependência energética de combustíveis fósseis, humanizar o espaço público e reduzir a sinistralidade rodoviária são alguns dos objetivos do Compromisso pela Bicicleta, lançado, esta terça-feira, em Aveiro.

A iniciativa desenvolvida pela Plataforma Tecnológica da Bicicleta e da Mobilidade Suave, da Universidade de Aveiro, conta já com a adesão de perto de uma centena de organizações, entre autarquias, associações, universidades, comunidades intermunicipais e empresas que assumem o empenho em criar melhores condições para pôr cidadãos, funcionários e estudantes a pedalar mais de modo a melhorar a sua saúde e a mobilidade nas cidades.

“Ambicionamos que este trabalho conjunto possa ajudar a colocar na agenda pública o tema da bicicleta nas suas múltiplas dimensões, alinhar os esforços dos vários parceiros e tirar partido das competências existentes em Portugal no seio do tecido institucional, académico, empresarial e cívico”, assumem os coordenadores da iniciativa em comunicado enviado às redações.

Aumentar em 10 por cento a quota atual de deslocações de bicicleta entre a casa e o trabalho/escola (de 0,5% para 0,55%) e reduzir em 10% (de 60 para 50%) o uso do carro nestas deslocações são algumas das metas. A estas juntam-se outras como a redução de emissões poluentes e da dependência de combustíveis fósseis, a melhora da qualidade de vida e o combate à obesidade, e ainda o estimulo da produção nacional de bicicletas (Portugal é atualmente o terceiro maior produtor europeu de bicicletas, a seguir à Alemanha e Itália).

Multiplicam-se os programas públicos de investimento, entre os quais o UBike, promovido pelo Instituto da Mobilidade e Transportes (IMT) e dirigido a instituições de ensino superior. Este programa conta com 5,5 milhões de euros, em 2016, para por os estudantes universitários a deslocarem-se em bicicletas partilhadas.

Também o Plano Nacional de Reformas, recentemente aprovado pelo Governo, inclui 24,8 milhões de euros (80% de fundos comunitários) para adquirir seis mil bicicletas e pôr os portugueses a pedalar.

Entre os signatários do "Compromisso" constam, para já, a Universidade de Aveiro, a associação empresarial ABIMOTA, as federações portuguesas de Ciclismo e de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta, a MUBI -Associação de promoção do uso do velocípede, várias entidades públicas e mais de uma dezena de câmaras municipais e quatro dezenas de empresas. Quem quiser aderir pode fazê-lo até final de junho.