Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Nem só de Apple e Samsung vive o mundo dos smartphones

  • 333

A LG está a apostar em características inovadoras para conquistar os utilizadores que normalmente optam pelos iPhone, da Apple, ou pelos Galaxy, da Samsung. Exemplo: este V10 tem dois ecrãs frontais

O LG G5 tem dado que falar um pouco por todo o mundo e está quase a chegar às lojas nacionais. Mas a marca sul-coreana já comercializa outro smartphone que compete com os melhores do mercado, o “canhão” V10. Por “canhão” deve entender-se um telefone com componentes poderosos e design convincente. Vamos começar pelo segundo.

O V10 não tem qualquer tipo de curvatura na parte de trás (como acontecia com o G3 e o G4). Em vez desse pormenor, a fina tampa traseira é revestida por um género de silicone rugoso que ajuda a segurar o telefone com bastante firmeza, semelhante às capas protetoras de borracha que existem nas lojas. Este acabamento contribui para o aspeto resistente do telefone e a tampa traseira é de fácil remoção. É aí que temos acesso às entradas para cartão MicroSD e para o SIM. Aliás, é aí, também, que repousa a generosa bateria de 3000 mhA - nem poderia ter menos capacidade para alimentar um telefone com um ecrã deste tamanho. As laterais em alumínio dão o toque final a um telefone que transborda aspeto premium por todos os lados.

A LG foi pioneira na colocação dos botões de controlo na parte traseira do chassis e esta continua a ser uma excelente localização que muito ajuda à utilização do terminal. O V10 estreia a integração de um sensor biométrico localizado exatamente no botão power. O sistema é muito rápido a reconhecer o dedo indicador (o que nos parece mais ajustado devido à dimensão do telefone) e revelou-se uma mais-valia no dispositivo – a LG é o último dos grandes fabricantes a integrar biometria num smartphone. Já o referimos, mas é preciso frisar: este é um telefone muito grande que vai colocar sérios problemas de utilização a quem tenha as mãos pequenas. É o preço a pagar para ter acesso a um generoso ecrã de 5,7 polegadas. E o ecrã... é bom?

Máquina de trabalho, mas não só!

A LG é um dos maiores fabricantes mundiais de ecrãs. Domina o processo e o ecrã LCD do V10 é prova disso. A resolução coloca-o lado a lado com terminais como o Galaxy S6 Edge+, mas com cores mais naturais. Aliás, só a Sony consegue ter ecrãs com mais fidelidade à cor final. Quer isto dizer que a experiência de utilização é muito boa. Para isso contribui, igualmente, uma densidade de píxeis que nos dá pormenor. Usámos o V10 nas mais variadas situações e conseguimos sempre manter uma boa visualização do que se passava no ecrã. Aliás, neste telefone temos de falar em ecrãs.

O V10 tem um pequeno ecrã secundário por cima do ecrã principal. Serve para mostrar notificações, dar acesso rápido a algumas funcionalidades e, por exemplo, às últimas apps utilizadas. E faz a diferença na utilização? Não, não faz. É simpático poder ter um ecrã de acesso direto e permanente a algumas coisas, mas é como a curvatura do Galaxy Edge: tem mais efeitos estéticos do que práticos.

A experiência Android personalizada pela LG (a interface UX vai na versão 4.0) é bastante boa. Os comandos continuam organizados de forma a serem encontrados e utilizados intuitivamente. A evolução nota-se, particularmente, no controlo das funcionalidades da câmara. É aí que podemos, manualmente, controlar os mais variados parâmetros e ver, em tempo real, o efeito que têm na foto final. Isso permitiu-nos fazer fotos de boa qualidade e bastante fiéis em termos de cor. Aliás, a fidelidade à luz e à cor é das melhores que já tivemos oportunidade de ver numa câmara de smartphone.

A qualidade do vídeo também é bastante boa e foi interessante poder escolher se o áudio era captado pelo microfone frontal ou pelo traseiro. Aliás, até é possível ligar um filtro para diminuir o ruído do vento. A captação de vídeo dá acesso a muitos parâmetros e, até, à gravação a 24 fps – a usada em cinema. O melhor? Os amadores podem escolher o modo automático sem terem de entrar nos menus destinados aos mais pros.

O V10 tem duas câmaras frontais. Foi a solução escolhida pela LG para tentar ter uma grande angular. O objetivo? Garantir que, nas selfies, se consegue apanhar mais gente e ambiente. E o sistema funciona bem. Consegue apanhar-se realmente mais área e produzir fotos originais. Mas não valia a pena colocar duas câmaras: podiam ter optado por uma com maior angular. Talvez o telefone ficasse mais barato.

Rápido, muito rápido

A escolha do processador Snapdragon 808 de seis núcleos e a integração de 4 GB de memória resultam numa experiência de utilização muito fluida. Não notámos quaisquer tipos de atraso na abertura de apps ou na transição entre as que estão a ser utilizadas. O que nos deixou muito satisfeitos. Mas quando comparamos os resultados dos testes com outros obtidos, por exemplo, com o Nexus 6P ou com o Galaxy S6 Edge +, comprovamos que a escolha de hardware por parte da LG poderia ter sido mais ambiciosa. Aliás, antecipamos que o fabricante resolva esta questão no G5.

Conseguisse a LG tirar uns euros a este telefone e ele não ficaria ao lado do Galaxy S6 Edge+ (que é mais apelativo em termos visuais, tem câmaras igualmente boas e desempenho maior) ou 100 euros acima do Nexus 6P. Assim, ficamos com um bom telefone com algumas características singulares (mas pouco decisivas).

CARACTERÍSTICAS

Modelo: LG V10
Preço: €799
Conectividade: 4G (150 Mbps), USB 2.0, GPS, Wi-Fi, Bluetooth, NFC
Sistema operativo: Android 5.1.1
Ecrã: 5,7” IPS, 2560x1440 píxeis; segundo ecrã: 160x1040 píxeis
Processador: oito núcleos a 1,8 e a 1,4 GHz
Memória RAM: 4 GB
Armazenamento: 32GB
Câmaras: 5 e 16 MP
Bateria: 3000 mAh
Dimensões: 159,6x79,3x8,6 mm
Peso: 192 gramas