Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

PJ afasta tese de homicídio de estudante que morreu junto à FEUP

  • 333

Expresso soube junto de fonte policial que a morte do estudante de 20 anos junto à Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) foi acidental. Não se tratou de um homicídio por agressões até à morte, como noticiado

Rui Gustavo

Rui Gustavo

Editor de Sociedade

Helena Bento

Jornalista

O estudante de 20 anos que morreu na madrugada desta sexta-feira não terá sido vítima de homicídio, conforme foi avançado pelos meios de comunicação social durante a manhã de hoje. Fonte da Polícia Judiciária revelou ao Expresso que o jovem morreu de forma acidental, depois de se ter envolvido numa altercação com outro rapaz.

De acordo com as informações que o Expresso conseguiu recolher, a vítima terá morrido depois de um amigo ter tentado separar os dois jovens. Joel Rafael terá então caído e batido com a cabeça no chão, sofrendo um traumatismo craniano.

A vítima é natural de Baião e estudante do ano zero, sem curso atribuído, no Instituto Superior de Contabilidade e Administração do Porto, do Instituto Politécnico do Porto (ISCAP).

O incidente ocorreu, segundo informações da PSP, na rua Dom Frei Vicente de Soledade Castro, perto do parque de estacionamento da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto.

Joel Rafael saía de uma festa (uma noite temática de drum'n' bas), que tinha decorrido num edifício da Associação de Estudantes da Faculdade de Engenharia, quando se envolveu numa discussão com um grupo de jovens. Um colega seu, apercebendo-se da situação, ter-se-á aproximado do grupo e tentado separar os jovens. Mas ao fazê-lo, Joel Rafael terá caído e batido com a cabeça no chão. A queda provocou-lhe a morte.

Segundo a Lusa, que cita fonte do Instituto Nacional de Emergência Médica, a equipa do INEM foi chamada ao local às 4h39. Joel Rafael foi levada para o hospital de São João, onde acabou por morrer.

em desenvolvimento