Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

IGAI abre inquérito ao tiroteio na Alta de Lisboa

  • 333

José Sena Goulão

Três polícias e dois civis feridos numa operação policial realizada na noite desta terça-feira na Alta de Lisboa. Nenhum se encontra em risco de vida

O tiroteio entre moradores da Ameixoeira, Alta de Lisboa, e operacionais do Corpo de Intervenção da PSP foi alvo de um inquérito da Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI). A equipa de Margarida Blasco vai investigar os pormenores dos incidentes desta terça-feira à noite naquele bairro.

O Expresso sabe que a IGAI quer "perceber o que aconteceu" no bairro, não havendo, pelo menos nesta fase, "qualquer inquério aos agentes envolvidos". Há no entanto moradores que denunciaram em vários ógãos de comunicação social a atuação da polícia.

Três agentes da PSP entraram no bairro depois de um alerta de uma rixa entre dois grupos rivais de etnia cigana, cerca das 20h00. A troca de tiros terminou com o ferimento dos agentes, com idades entre os 30 e 41 anos, e de duas mulheres envolvidas nos desacatos.

Todos os feridos foram internados no Hospital de Santa Maria, em Lisboa na mesma noite. Um dos agentes ficou ferido com gravidade sendo sujeito a uma intervenção cirúrgica. Uma das mulheres também tinha ferimentos considerados graves quando entrou naquele hospital.

Os três polícias baleados estão fora de perigo e as duas mulheres civis, igualmente feridas, estão estabilizadas.

Segundo a Agência Lusa, o ambiente no bairro da Ameixoeira voltou à normalidade durante esta manhã de quarta-feira, tendo a PSP desmobilizado os agentes que estavam no local.

Fonte do Comando Metropolitano de Lisboa revelou que a Rua António Vilar, onde se registou a troca de tiros e que esteve cortada ao trânsito nos dois sentidos, foi reaberta, enquanto os feridos se mantêm internados no Hospital de Santa Maria, permanecendo a sua situação atual igual às últimas informações prestadas pelo porta-voz da PSP.

No bairro foi montado na terça-feira à noite um perímetro de segurança local para a Polícia Judiciária proceder à recolha de vestígios, uma vez que a investigação está agora a seu cargo. Foi recolhida uma caçadeira, embora não tenham informação de que seja uma arma envolvida nos confrontos. Não existem, para já, detidos nem suspeitos dos disparos.