Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Uma história com barbas

  • 333

Mário João

As barbearias estão na moda. Voltaram os cortes clássicos e as barbas fartas. Damos-lhe a conhecer os espaços novos e as relíquias que resistiram ao tempo

Bernardo Mendonça

Bernardo Mendonça

(Lisboa)

Jornalista

Isabel Paulo

Isabel Paulo

(Porto)

Jornalista

Mulher não entra!

MáRIO JOãO

Quem passa à porta desta barbearia não lhe fica indiferente. Parece cenário de filme de época. Os empregados estão trajados com roupas retro, barbas e bigodes hipsters e penteados de outros tempos.
Ali reproduzem-se cortes clássicos dos anos 20 aos anos 50 (€25) e trata-se da barba com o método navalha e toalha quente (€25), na linha da escola americana de barbearia tradicional. O espaço convida, mas a entrada não é para todos. O aviso à porta é claro: homens e cães são bem-vindos, mulheres... não.

Fábio Marques, um dos responsáveis, explica: "Queremos manter um ambiente para os homens estarem à vontade. Não é uma rejeição de um cliente porque não prestamos serviços a senhoras."

Figaros Barbershop. Rua do Alecrim, 39, Lisboa. Tel. 213 470 199. De terça a quinta das 11h às 18h30. Sexta e sábado das 12h às 20h30

O barbeiro de Fernando Pessoa

Mário João

Esta é a barbearia mais antiga de Lisboa. Contas bem feitas, está há 128 anos a tosquiar e a fazer a barba dos lisboetas e não só. Momentaneamente deslocada do Largo do Chiado para onde antes funcionava um alfarrabista, frente ao novo Cinema Ideal, é parte da história da cidade e de visita absolutamente obrigatória. Pelas memórias, pelo belíssimo mobiliário original e pelos pormenores do serviço de corte de cabelo (€12,50), barba à navalha (€10) ou toalha quente (€25) que nos remetem para o rigor dos tempos em que ali se entrava de sobrecasaca e chapéu alto. Fernando Pessoa aparava lá o cabelo e o delicado bigode, assim como Almada Negreiros, Eça de Queirós, Aquilino Ribeiro, Vitorino Nemésio ou Vasco Santana. Estes barbeiros têm muitas histórias para partilhar. Quer saber mais? É marcar no Campos.

Barbearia Campos. Rua do Loreto, nº 14, Lisboa. Tel. 213 428 476. De seg. a sex. das 9h às 19h. Sáb. das 9h às 13h

Como manda a tradição

Mário João

Mesmo antes de falarmos com o barbeiro, é o tosquiado António Abreu, de 80 anos, quem faz a despesa da conversa: "Aqui somos bem atendidos e o patrão é pessoa com quem se pode conversar e a amizade conta." Vicente Carreiro, 70 anos, agradece as palavras do cliente. Atende novos e velhos. Faz barbas em conta (€5) e corta cabelos de rapazes e homens feitos (€8). "Vêm muitos estrangeiros fazer a barba. Gostam do estilo das velhas barbearias.

Eu quero é trabalhar. A reforma é pequenina. Venho aqui buscar mais algum. E o convívio com os clientes é vital."

Barbearia Vicente. Rua dos Mastros nº 11. Lisboa. Tel. 213 976 937. De segunda a sexta das 9h às 14h e das 16h às 18h e sábados das 9h às 12h

A traça antiga, o espírito atual

Lucília Monteiro

A Barbearia Tinoco, junto à Estação de São Bento, abriu portas em 1929 e mantém intacto o seu interior Art Déco: dos belos espelhos dourados às cadeiras de ferro, algumas com costas rebaixadas por causa dos longos cabelos das senhoras. Território masculino durante gerações, moldou-se aos novos tempos. Paulo Guedes, que aprendeu o ofício na Suíça, acredita que os salões de barba e cabelo vão voltar a vingar. Apesar "das máquinas e giletes".

Oficina dos Cabelos. Rua Sá da Bandeira, 13, Porto. Tel. 220 997 502. Seg. a sáb. 9h/19h

Ilustres? São todos

Lucília MOnteiro

José Aventino da Silva já perdeu a conta às cabeças famosas que se entregaram nas mãos. D. Manuel Clemente confiou-lhe o corte de cabelo e Rui Rio também. A clientela atira-lhe que só liga aos ilustres, mas a resposta é pronta: "Ilustres são todos os que se sentam na minha cadeira". A Invicta, fundada p or José e dois sócios há 47 anos, sobreviveu à queda das mais antigas barbearias do Porto, "derrotadas pelos Beatles". Entre os troféus, pontifica a navalha de barba do Zé do Telhado.

Barbearia Invicta. Praça Carlos Alberto, Porto, 123, 1º piso. Tel. 222 005 902. Seg. a sáb. 9h/13h e 15h/19h30

Sai uma barba, um gin e um snooker

Mário João

É uma barbearia com pinta. É bar de gin e cerveja.

É salão de snooker. E, à noite, palco de stand up comedy, jazz, pop e DJ. Confuso? Nem por isso.
O espaço abriu há um ano a pensar nos homens urbanos que ao fim do dia querem beber um copo, conversar um bocado, jogar com amigos e aproveitar o momento para cortar o cabelo (€17) ou aparar a barba e o bigode (€6) num estilo mais retro. A animação acontece aos poucos pela noite dentro.

"São muitos os clientes que aparecem para beber um copo e saem de cabelo e barba aparados". Quem o diz é o próprio barbeiro, Unique Dirvarearu, de 25 anos, filho de pai português e mãe romena, barbas longas, cabeça rapada e navalha de barbeiro tatuada no sobrolho direito. "É uma nova forma de abordar o assunto da masculinidade, com bom gosto e descontração." Aqui as mulheres também têm lugar e todas as 5ªs, 6ªs e sábados há serviços de maquilhagem (€6) e workshops (€12) a partir das 20h.

O Purista. Rua Nova da Trindade, 16 C, Lisboa. Tel. 916 442 744. Domingo e terça feira das 15h às 21h. Quartafeira e quinta das 15h às 2h. Sexta e sábado das 15h às 4h

O salão de vaidades

Lucília Monteiro

Jackson Martínez. Um Volkswagem vermelho pendurado na parede é o cartão de visita do mais recente barbershop do casco histórico da Invicta.

O segundo salão de Marco Baltazar, tal como no seu congénere de Matosinhos, é feudo exclusivo de homens e rapazes, rendidos aos penteados dos ídolos de futebol. O ar descontraído e as mãos criativas dos três jovens cabeleireiros do espaço conquistaram num corte (€13) Quaresma e Jackson Martínez. Barbas são €8 e sobejam serviços técnicos.

Marco Baltazar. Rua Mouzinho da Silveira, 258, Porto. Tel 222 012 150. 10h/20h. Encerra domingo e terça

Do pé descalço ao deputado

Mário João

É clássico, é barato e avia multidões. Para o senhor Gato, de 66 anos, os cortes masculinos não têm mistérios (€7,50). Nem as barbas. Sejam aparadas à tesoura ou feitas à navalha (o preço é o mesmo: €4).

Os cortes clássicos são o seu forte. "Mas sei fazer de tudo. Tenho clientes fiéis há mais de 40 anos." Nicolau Breyner é um dos que não deixam de lá ir. "Veio há três semanas, rapou à navalha, foi passar a espuma e fazer a barba à careca. Acho que está a fazer de mau da fita num filme feito em São Tomé." O ministro dos Negócios Estrangeiros, Rui Machete, é outra presença assídua. "Esta é uma casa aberta a toda a gente. Do pé descalço ao deputado." Se passar por lá, não deixe de espreitar a vitrina - a que senhor Gato chama 'pequeno museu' - com instrumentos de barbeiro de outros tempos.

Barbearia Gato. Rua do Poço dos Negros, 136, Lisboa. Tel. 213 901 877. De segunda a sexta das 9h às 14h e das 16h às 19h. Sábados das 9h às 13h

Barbas rijas e barbas fofas

Lucília MOnteiro

Josie Georgia chegou ao Porto para seduzir quem não gosta de se parecer com a vizinha (o) do lado.

Até 2014, o Lab SixtyOne, de estilo Soho londrino, foi reino de garridices femininas, mas a vinda do luso--francês António Magalhães mudou a face deste salão trendy, agora unissexo, no quarteirão das artes da Invicta. Aos 25 anos, dono de uma fofa barba de seis meses, corta e apara com mestria os cabelos, bigodes e barbas (€8 a €10) de geometria variada dos profetas urbanos. As barbas longas estão para durar, mas 'exigem' cuidados mensais para não dar ar de desleixo.

LabSixtyOne. Rua Miguel Bombarda, 61, Porto. Tel 224 940 698. Terça a sexta das 10h30 às 19h