Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Autoridades portuguesas já têm ficha de quatro jiadistas. Apenas um está vivo

  • 333

Ficheiros dos jiadistas portugueses estão a ser analisadas ao pormenor em Lisboa. São eles Nero Saraiva, Sandro Monteiro, Sadjo Ture e Mikael Batista

Hugo Franco

Hugo Franco

Jornalista

O lusodescendente Mikael Batista pode ter morrido em combate em Kobane, perto da Turquia

O lusodescendente Mikael Batista pode ter morrido em combate em Kobane, perto da Turquia

Neste momento há cerca de dez jiadistas portugueses a combater em nome do terrorismo, na Síria e no Iraque. Já foram 15, mas nos últimos meses cinco morreram - quatro deles vítimas dos ataques aéreos da coligação ocidental e de combates contra as tropas de Bashar al-Assad e um num ataque suicida no Iraque.

Muitos destes combatentes têm uma ficha pessoal na organização terrorista liderada por Abu Bakr al-Baghdadi entre as milhares que estão a ser analisadas pelas polícias e serviços de informações de pelo menos 40 países.

As autoridades portuguesas têm neste momento em seu poder quatro identidades: Nero Saraiva, Sandro Monteiro (cujos nomes já tinham sido revelados pelo Expresso), bem como Sadjo Ture e Mikael Batista (duas identidades avançadas esta quinta-feira pela revista "Sábado").

Destes quatro jiadistas, só Nero Saraiva estará vivo, embora em parte incerta no território do califado. Sandro Monteiro morreu em Kobane, em outubro de 2014. Três meses depois foi a vez de Mikael Batista ser abatido na mesma região junto à fronteira com a Turquia. Mais recentemente, em novembro, Sadjo Ture foi baleado pelas tropas sírias fiéis ao presidente Bashar al-Assad, num ataque surpresa.

Também a RTP avançou com um nome, Steve Duarte, mas que ainda não fará parte dos documentos que estão na posse da Polícia Judiciária e dos serviços de informações. Também este lusoluxemburguês está vivo, tendo participado num vídeo de propaganda, divulgado em fevereiro, em que mata um refém.

O processo de verificação de identidades não é rápido. "Demora muito tempo a isolar nomes", salienta uma fonte próxima da investigação.

São milhares as fichas de jiadistas de pelo menos 40 países. Muitas delas têm sido divulgadas por diversos órgãos de comunicação social de todo o mundo, depois de na semana passada a cadeia televisiva Sky News ter revelado o acesso a milhares destes documentos.

Só da França haverá 500 terroristas com nomes registados. Este é aliás o país ocidental que mais jiadistas tem exportado para o Daesh.