Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Jiadista português Steve Duarte também está na lista do Estado Islâmico

  • 333

Depois de Sandro Monteiro, Nero Saraiva e Ismael Omar Mostefai, o ex-rapper criado no Luxemburgo pode ser o quarto combatente com sangue luso nos ficheiros secretos do autoproclamado Estado Islâmico. Autoridades portuguesas não o confirmam, pelo menos para já

Hugo Franco

Hugo Franco

Jornalista

Steve Duarte, conhecido por Abu Muhadjir Al Andalousi, tem 27 anos e alistou-se no autodenominado Estado Islâmico (Daesh) em 2014, integrando o departamento de propaganda da organização terrorista. O nome do jiadista português encontra-se nos ficheiros da organização terrorista que têm sido divulgados pela cadeia de televisão Sky News e pelo site sírio Zaman Alwassl.

A informação foi avançada pela RTP e replicada em vários sites do Luxemburgo como o da televisão RTL e dos jornais "L'essentiel", "Tageblatt", "Le Quotidien", "Le Républicain Lorrain" e do "Luxemburger Wort". Mas até ao momento, as autoridades portuguesas não confirmam este novo dado.

Steve Duarte torna-se o quarto combatente com sangue luso nos ficheiros do Daesh mas o Expresso apurou que pode até haver mais jiadistas com ligações a Portugal.

Os outros três nomes avançados pelo Expresso, e já confirmados por fontes próximas da investigação, são os de Sandro Monteiro, Nero Saraiva e Ismael Omar Mostefai. O primeiro foi morto em combate em outubro de 2014, em Kobane, o segundo encontra-se em parte incerta no califado e o terceiro foi um dos três terroristas que mataram 90 pessoas no Bataclan, durante os ataques em Paris em novembro do ano passado.

Há ainda mais dois jiadistas a cujas fichas o Expresso teve acesso que não são portugueses mas indicaram às chefias do Daesh terem passado pelo nosso território antes de se alistarem na organização terrorista: Abu bilal AlMagribi, de 23 anos é marroquino e Abu Ibrahim Asseralyouni, de 29 anos, tem nacionalidade dinamarquesa.

Neste momento, existem cerca de dez jiadistas portugueses e lusodescendentes a combater em nome do Daesh. Nos últimos meses, outros cinco morreram, a maioria vítima dos ataques aéreos da coligação internacional liderada pelos EUA e França.

Ameaças à Península Ibérica

Steve Duarte foi o carrasco num vídeo do Daesh divulgado em fevereiro. De rosto tapado com um passa-montanhas que deixava apenas de fora os olhos e o cabelo louro, o lusodescendente discursa em francês, ameaçando os cidadãos portugueses e espanhóis. No fim do vídeo, mata a tiro um dos cinco reféns que surgem no vídeo de oito minutos, identificados como traidores do Daesh. Vestido com um uniforme camuflado claro, Abu Muhadjir Al Andalousi é o elemento mais importante dos jiadistas que surgem nas imagens, e que abatem as vítimas a sangue frio.

As imagens terão sido gravadas em Ninive, no norte do Iraque, num local bombardeado pelas forças da coligação. "Juro que pagareis um preço muito alto e que o vosso final será muito doloroso", ameaça Steve Duarte, em tom ameaçador, de pistola na mão. Aos seus pés, ajoelhado, está o homem que matará pouco depois. E acrescenta: "Se Deus quiser, recuperaremos Al Andalus", designação dada à Península Ibérica.

Na Síria, Steve Duarte tem estado ligado à produtora que concebe e produz os vídeos de propaganda do Daesh. É a primeira vez que surge à frente da câmara e como carrasco.

Detentor de nacionalidade e passaporte português, nunca perdeu a ligação ao país dos pais. Cresceu no Luxemburgo mas regressava frequentemente à Figueira da Foz, terra onde ainda tem família. Criado numa família católica, converteu-se em 2010 ao Islão numa mesquita da Argélia e até pôs o video do ritual no YouTube. Foi também aí que se casou com uma mulher argelina.