Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Sindicato encoraja jornalistas a agir criminalmente contra agressores

  • 333

O Sindicato dos Jornalistas condenou, esta terça-feira, as agressões e ameças sofridas por profissionais da comunicação social na noite de ontem, junto ao Estádio do Dragão

Isabel Paulo

Isabel Paulo

Jornalista

O Sindicato dos Jornalistas divulgou esta terça-feira de tarde um comunicado condenando o comportamento de um grupo de adeptos que, “de cara tapada”, agrediu um repórter de imagem da Sport TV, segunda-feira à noite, no exterior do Estádio do Dragão. Além da agressão, o Sindicato lembra que foram ainda dirigidas ameaças aos jornalistas que estavam a fazer o seu trabalho.

O clima de intimidação criado é “condenado em absoluto”, exigindo o sindicato que sejam apuradas as responsabilidades neste caso. Além de configurar “um crime, o recurso à violência, física e verbal, representa, nestas situações, uma clara tentativa de condicionamento da atividade jornalística, o que coloca em causa a liberdade de imprensa e, em último caso, o direito a uma informação transparente e independente”, refere o comunicado.

O Sindicato dos Jornalistas lamenta ainda determinadas declarações de dirigentes desportivos, que acabam por prejudicar o relacionamento entre adeptos e a comunicação social: “Foi o que aconteceu esta segunda-feira durante a assembleia geral do FC Porto, quando o presidente Pinto da Costa teceu duras críticas à imprensa, momentos antes dos episódios de insultos e agressões”, acrescenta o comunicado.

Além de manifestar solidariedade para com os jornalistas visados, o sindicato “encoraja-os a agir criminalmente contra os autores das referidas ameaças e agressões”.

O Expresso tentou apurar junto da Sport TV se o operador de imagem empurrado e golpeado na cabeça já apresentou queixa, mas a operadora refere que ainda está “a averiguar a situação”.