Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Menezes tem €5 milhões por explicar

  • 333

Rui Duarte Silva

Quando saiu em 2013, Luís Filipe Menezes deixou o município de Gaia com um buraco de 318 milhões de euros. O ex-autarca perde esta quarta-feira a imunidade política, com a tomada de posse de Marcelo Rebelo de Sousa e a sua saída de conselheiro do Estado

A Polícia Judiciária não sabe de onde é que surgiu tanto património no círculo familiar de Luís Filipe Menezes. No inquérito que incorre no DIAP do Porto, as autoridades detetaram património que ronda os cinco milhões de euros, revela o "Correio da Manhã" esta quarta-feira.

Estes bens estão em nome de Menezes ou de familiares diretos. Neste momento, a Polícia Judiciária está a investigar vários possíveis crimes: corrupção, gestão danosa, fraude fiscal e branqueamento de capitais. Até agora, não há arguidos.

Coincidência ou não, esta quarta-feira, dia dqa tomada de posse de Marcelo Rebelo de Sousa como Presidente da república, Luís Filipe Menezes perde o seu estatuto de conselheiro de Estado e a imunidade política. Assim, o ex-presidente da Câmara de Gaia poderá ser ouvido sem que as autoridades fiquem dependentes de outras autorizações para o interrogatório.

Esta investigação também envolve vários contratos assinados pela Câmara de Gaia, município liderado por Menezes durante 16 anos, como foi noticiado esta terça-feira. Destas, destaca-se a Gaianima - durante esta terça-feira foram feitas mais de 20 buscas.

Quando saiu em 2013, Menezes deixou o município de Gaia com um buraco de 318 milhões de euros.

  • Ex-administrador da área financeira da Gaianima diz que quem não deve não teme e que está disponível para colaborar com as autoridades apesar de desconfiar das conclusões da auditoria “conduzida por uma empresa ligada à esfera do PS”

  • A PJ deu início esta manhã a nove buscas em simultãneo na Câmara de Gaia e em casas de ex-gestores da Gaianima, empresa municipal extinta em 2015 e suspeita ter avalizado contratos ilegais de 4,4 milhões de euros na era de Luís Filipe Menezes