Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Homens assaltam carrinha de valores em Vialonga e estão em fuga

  • 333

Segundo a GNR, “dois indivíduos consumaram o assalto, cerca das 11h30, no momento em que a carrinha de valores procedia ao carregamento de uma caixa multibanco instalada junto a um café”, naquela freguesia de Vila Franca de Xira

Dois homens encapuzados e armados assaltaram esta manhã uma carrinha de valores em Vialonga, concelho de Vila Franca de Xira, disse à agência Lusa fonte da Guarda Nacional Republicana (GNR).

Segundo esta fonte, “dois indivíduos consumaram o assalto, cerca das 11h30, no momento em que a carrinha de valores procedia ao carregamento de uma caixa multibanco instalada junto a um café” naquela freguesia de Vila Franca de Xira.

Após o assalto, a dupla de suspeitos – que conseguiu levar dinheiro cujo valor ainda está por apurar – colocou-se em fuga num automóvel, estando neste momento no seu encalce a polícia, militares da GNR e elementos da Polícia Judiciária, que ficou responsável pela investigação.

No decorrer deste assalto não houve registo de disparos nem de feridos.

Este é o segundo assalto consumado a carrinhas de valores em menos de 24 horas. Ao início da tarde deste domingo, um grupo de “quatro a cinco” elementos – as autoridades admitem que possa haver mais envolvidos – assaltou uma carrinha de valores que se encontrava junto a um supermercado na localidade de Lourel, concelho de Sintra.

Os suspeitos “consumaram o assalto e levaram vários sacos com dinheiro ou valores”, adiantou no domingo fonte policial à Lusa.

Na fuga, os suspeitos despistaram-se num acesso à Autoestrada 16 e, quanto tentavam roubar uma outra viatura, efetuaram vários disparos e atingiram um automobilista que passava naquele local àquela hora, acompanhado da família.

A vítima, de 49 anos, acabou por chegar ao Hospital São Francisco Xavier, em Lisboa, “já sem vida”, indicou anteriormente à Lusa fonte oficial desta unidade hospitalar.

Os suspeitos, que continuam em fuga, são procurados por polícias, militares da GNR e Polícia Judiciária, que coordena também esta investigação.

[Texto atualizado às 15h29]