Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Tarifa social da eletricidade vai chegar a um milhão de portugueses

  • 333

joão carlos santos

A ideia veio do Bloco de Esquerda e o primeiro-ministro gostou. Segundo o “Diário de Notícias”, o financiamento desta medida vai ficar ao encargo da EDP

A solução para o alargamento da tarifa social de eletricidade veio do Bloco de Esquerda, nas vésperas da votação do Orçamento de Estado na generalidade para 2016. Nas palavras de António Costa, esta é uma "boa resposta", de forma a compensar o recuo na taxa social única (TSU). Segundo o "Diário de Notícias" desta terça-feira, o número de beneficiados desta medida vai passar dos 110 mil para um milhão de pessoas.

O financiamento da medida vai ficar da responsabilidade da EDP, segundo o matutino. A EDP recusou comentar esta notícia ao "DN".

O chamado apoio social extraordinário ao consumidor de energia (ASECE), até agora financiado pelo Orçamento de Estado, era oferecido a cada indivíduo que tivesse “um rendimento anual abaixo de 5800 euros + 50% por cada elemento do domicílio fiscal”. Mas não só. Também estão incluídos os beneficiários do complemento solidário para idosos, do rendimento social de inserção, do subsídio social de desemprego, do abono de família e de pensões sociais de invalidez e de velhice.

De acordo com a proposta do BE, conta o “DN”, a nova fórmula de cálculo vai ter em conta os dados dos operadores, do fisco e da Segurança Social.