Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Fantasporto mais português

  • 333

Abertura oficial do já incontornável festival de cinema fantástico do Porto acontece sexta-feira, com antestreia mundial de “Gelo”, de Luís Galvão Teles e do filho Gonçalo. De 26 de fevereiro a 5 de março, serão exibidos cerca de 200 filmes, 13 dos quais com assinatura de alunos da Universidade do Minho

Isabel Paulo

Isabel Paulo

Jornalista

DR

O arranque oficial da 36ª edição do Fantasporto é já na próxima sexta-feira, no Teatro Rivoli, no Porto, festival que irá exibir quase 200 filmes oriundos 40 países, este ano com uma forte presença portuguesa, em especial na secção de curtas-metragens, entre as quais 13 realizadas por alunos de Ciências de Comunicação da Universidade do Minho.

O mais aguardado certame de cinema fantástico de terror teve início esta segunda-feira em modo pré-Fantas, com a exibição de “Dust”, a retrospetiva dedicada ao realizador macedónio Milcho Manchevski, nomeado para um Óscar por “Before the Rain”. Esta terça-feira, repete-se a apresentação de “Dust”, pelas 21h45.

Na inauguração da competição oficial, o Fantasporto irá exibir, no Grande Auditório do Rivoli, a antestreia mundial de “Gelo”, filme realizado a quatro mãos por Luís Gonçalo Teles e pelo filho Gonçalo Galvão Teles. O filme, sobre uma jovem nascida do ADN colhido da Idade do Gelo e criada num palácio, é interpretado pelos atores Afonso Pimentel, Albano Jerónimo, Ivo Canelas, Ruth Gabriel e a espanhola Ivana Banquero, protagonista de “O Labirinto de fauno”, de Guilherme del Toro.

Ainda na sexta feira, será apresentado “Into the Forest”, de Patrícia Rozema, filme canadiano de 2015 e aclamado no último Festival de Cinema Stiges, na Catalunha.

Segundo um comunicado da organização do Fantasporto, a edição deste ano terá por tema central as migrações, desenraizamento e violência, com destaque para a filmografia da América Latina, Europa de Leste e Ásia, “áeras do globo onde estão a surgir as maires novidades”, bem como a descoberta de novos realizadores.

As curtas-metragens “made in” Universidade do Minho serão exibidas a 3 de março, a partir das 16h45, e concorrem ao Prémio Cinema Português – Universidades e Escolas de Cinema.

Um dos filmes, “Esta Noite Vi Dois Marcianos de Smoking”, candidata-se em simultâneo ao prémio de Melhor Filme Nacional. Assinado por Felipe Canedo, Andrea Vale e André Moreira, o filme retrata a emissão-homenagem de “Guerra dos Mundos”, emitida em 1988 pela Rádio Braga, que na altura gerou uma onda de pânico junto de alguns residentes locais, crentes numa invasão marciana na cidade.